C-Drama Doramas Entretenimento TV show
/

Where The Lost Ones Go (C-drama)

“Não é porque estou perdido que significa que sou um perdedor.” Com essa frase de Lost do Coldplay começo a resenha de Where The Lost Ones Go, um drama chinês que enche os olhos em ambientação e fotografia de iluminações variadas, porém traz reflexões obscuras sobre a vida. Quer entender o porquê dessa dualidade? Como funciona a sofrência pros chineses, ao menos em 2017? Acompanhe a resenha e ponha a OST pra tocar (já de antemão pedindo desculpas por ter achado apenas as músicas em mandarim, pois por incrível que pareça a OST em inglês foi impossível de encontrar, mesmo procurando por trechos com meu inglês quebrado >__<).

Where The Lost Ones Go | 可惜不是你 | também conhecido como: Unfortunately Not You , I’m Sorry It’s Not You |

Episódios: 24 | Emissora: Hunan TV | Trasmissão: 21/Novembro – 11/Dezembro/2017

Sinopse: A estória do primeiro amor entre dois jovens estudantes de Arte que os levam a uma jornada inesquecível. Ye Zi, uma das alunas principais de pintura tradicional chinesa e Xiang Ze Yi, um importante aluno em pintura a óleo, se conheceram e se apaixonaram na época de faculdade. No entanto, Ye Zi se encontrou de coração partido quando Xiang Ze Yi a deixou de repente, sem dizer uma palavra. Anos mais tarde, Ye Zi tornou-se uma famosa ilustradora de mangá. Na esperança de voltarem a ficar juntos, Xiang Ze Yi voltou a encontrá-la trazendo a confissão do que aconteceu e por que ele teve que deixá-la. Como Ye Zi vai reagir? O que ela decidirá? (via My Drama List, tradução adaptada).

A sinopse já nos apresenta o contexto dos primeiros episódios. Ye Zi, a estudante de arte caloura que encontra por acaso o veterano de um ano Xiang Ze Yi, fugindo de uma garota que ele não gostava mas vivia correndo atrás dele (quem nunca??? eu nunca kkkkk). Para situar e organizar melhor a estória que apresenta bem mais que esses dois personagens vou falar dos principais por tópicos, já que cada um teve seu momento no drama e é por isso que vale a pena a recomendação.

Ye Zi

A estudante caloura se apresenta atualmente como uma mulher bem sucedida, sócia em seu estúdio de mangás chineses, porém imersa em melancolia, quase sempre com um sorriso triste. O drama foca bastante em seus pensamentos, penso por ser baseado num livro (coisa que fiquei sabendo ao ler os comentários no youtube, por onde eu estava assistindo até encontrar um fansub), demonstra uma carga narrativa mas sem exagerar no voiceover (algo que os kdramas amam, quando um personagem ao invés de falar dentro da cena a narra por cima, como se estivesse observando a situação de longe).

Ye Zi é uma personagem que manifesta bem as idas e vindas da linha temporal do drama, inicialmente contado mesclando cenas dos personagens atualmente com cenas deles na época da faculdade de Artes. Apesar de buscar se mostrar resoluta nas decisões está sempre presa ao seu passado mal resolvido, então quem assiste pode ficar com pena dela ou querer sacudi-la às vezes, mas nada que a torne uma “morta por dentro” afinal ela tem atitudes e corre atrás do que precisa. Depois de concluir o drama, percebi que a Cecilia Boey interpretou a Ye Zi num tom certeiro, pois em cada momento da personagem se percebia seus sentimentos bem vistos e intensos, embora ela tenha uma aura naturalmente delicada.

Ze Yi

O típico garoto esperto conseguindo ser muito bom no que faz – a ponto de ser quase convidado a trabalhar num estúdio de criação às vésperas de graduar – mas também estar na zueira com seus amigos. Xiang Ze Yi se apresenta como um veterano brilhante, extrovertido e de olhos muito expressivos, os quais louvo o ator Fan Shi Qi por emprestá-los ao personagem (inclusive gostaria de conferir mais dramas com esse ator). Todavia, o graduando se mete numa confusão, que fica confusa até pra quem assiste. Ze Yi nunca teve medo de tomar decisões e por mais zueiro que parecesse não era de brincadeira fora de hora. Foi apenas um jovem alegre, vítima de um destino cruel, um mal entendido fabricado por um outro personagem que muito me irritou (o verdadeiro vilão da estória, apesar de mal ter aparecido… um furo ruim na linha temporal).

Ze Yi aponta bem a dualidade iluminada vs. obscura da estória, abordando uma juventude cheia de sonhos, planos e promessas amorosas que não pode ser cumprida como gostaria… ele tem de mudar seu nome para Ze Hui e andar com um boné tentando cobrir o rosto e buscando não ser reconhecido antes da hora. Mas no momento em que encontra Ye Zi aquelas sombras que o acompanham começam a ganhar luz de novo. Um personagem que é definitivamente ligado ao seu passado mas, apesar das dores, aprende com ele. Daqueles que assistindo a gente só torce tipo: PELAMORDIDEUS EU QUERO TE VER FELIZ!

Lin Sen

Aha, vocês pensaram que não tinha triângulo amoroso né? Pois bem, lhes apresento Lin Sen, ao qual o ator Aero Xiao (que nome mais aerodinâmico kkkkkkparei) deu vida. Aquele second lead atencioso demais que você chega a pensar por que raio ainda não tá com a mocinha afinal ele a conhece desde criança, estudou na mesma escola, foi pra faculdade de Saúde que tinha o campus do lado da de Artes e se tornou um médico renomado, podendo oferecer um lindo futuro a uma mulher tão sofrida… mas por que isso não aconteceu?

Lin Sen foi um personagem bem hesitante como muitos que já assistimos poraí, podendo ser comparado até com uma pessoa normal, trazendo inseguranças que nem todo emprego estabelecido nem dinheiro pode comprar. Não foi por falta de beleza nem de oportunidade, as quais seus amigos o ajudaram bastante, torcendo que ele pudesse dar fim a melancolia que rondava a Ye Zi já que eram tão próximos. Talvez, por causa dessa proximidade, Lin Sen notou que ele não era o cara que a Ye Zi procurava. Então, nas idas e vindas da estória, o Lin Sen sempre aparecia como o ombro amigo que buscava a alegria da Ye Zi mais até que a dele mesmo.

Yuan Lang

O amigo que o ombro amigo tinha, aquele de fé, irmão camarada, que completa o otp com a melhor amiga da mocinha (e o que não falta nesse drama é ship). Wen Yi Fan interpreta o bff do Lin Sen e é um personagem altamente calmo e contido em suas reações. Yuan Lang já começa se encontrando com o Lin Sen, que estava num restaurante junto a Ye Zi e  sua amiga Zhu Xuan, a qual se apaixona a primeira vista por ele.

Yuan Lang teve momentos no drama mais junto seu par do que de individualmente, pois seu personagem era bastante reservado. Isso incomoda um pouco quem é curiosa por tudo, como eu, mas ao longo da estória o Yuan Lang se explica e reflete um caráter muito profundo enquanto médico da área forense, algo totalmente oposto a sua aparência angelical. Em uma da suas falas o mesmo diz não comentar sobre o que faz pois ao se aproximar todo dia do lado obscuro da ser humano ele não gostaria de partilhar essa carga com quem ama. No fundo, ele é apenas um homem sensível e cheio de consideração (e me fez chorar, bonito).

Zhu Xuan

A melhor amiga da Ye Zi, espevitada e fofoqueira por natureza, gosta de se espalhar aonde vai mas não faz a linha louca, apesar da risada estranha >_<. Zhu Xuan ou apenas Zhu Zi (apelido dado pelas amigas), interpretada pela Yu Hao Yang, é uma personagem que por mais que demonstrasse ser intrometida, brigona, chorona e faladeira, é sempre tomada por um anseio de ajudar a todos, dando um empurrão em quem precisasse (coisa que faz falta em muito drama, especialmente aqueles lotados de incertezas). Seu romance com o Yuan Lang pareceu bobinho e superficial de início mas, com o tempo, trouxe questões importantes a serem refletidas por quem assiste.

Amizades e tretas

Junto com a Zhu Xuan, Ye Zi se tornou amiga de Liu Xiran e Cheng Xi formando um grupo que dividia quarto na faculdade e desde então nunca se desgrudou. Ao acompanhar Zhu Xuan até o dormitório dos meninos, Xiran conhece Zhang Daniao que por sua vez era o melhor amigo do Xiang Ze Yi. Daniao é um gamer que sonhava ser profissional dessa área e parecia meio irresponsável e largado, contudo era muito sorridente e simpático também. Ele logo teve sentimentos pela estudante de escultura artística e, ainda com a relutância da Xiran que dentre as 04 amigas era a mais durona, consegue sua atenção e amor. Xiran e Daniao foi o terceiro casal com mais cenas no drama e também teve um espaço eficiente na estória, sem pontas soltas. Daniao foi responsável por alguns empurrões nas atitudes do Ze Yi mas também levou os seus puxões de orelha.

Quanto à Cheng Xi, a mais quieta das 04 amigas, parecia apagada mas logo voltava a linha temporal da estória em meio a interação no grupo e teve até um parzinho pra chamar de seu mais pro final da trama… Ela se formou em Artes como demais porém resolveu seguir a carreira de escritora, conseguindo seu reconhecimento próprio também.

No quesito treta, temos aquela menina que gostava do Ze Yi e acabou provocando bem mais que o encontro repentino da Ye Zi com ele. Wen Jie tinha porte de modelo na escola de Artes mas Ze Yi nunca lhe deu condição. Assim, num dia pra outro, eis que surge um sujeito chamado Yi Shan dando um nó na vida dela e do Ze Yi (por pura implicância, ao meu entender). As consequências foram mais profundas do que ambos imaginavam e, devido o Xiang Ze Yi ter adquirido um trauma doloroso – mais psicológico do que físico – por muito tempo ficou mergulhado numa desesperança imensa diante da vida. Mas foi a Arte que o salvou, de certa forma. A Arte presente em seu trabalho, pelo amor e pelo tempo.

Meu caminhar com o drama

Na busca de ver uns dramas de outro países e não ficar presa só aos coreanos lembrei que tinha um título chinês numa lista salva no youtube. Era Where The Lost Ones Go, pois sua emissora o disponibilizou completo em HD, pena que apenas com legenda inglês (notei vários assim por lá). Uma recomendação mais específica veio pela isa (@wanliarr no twitter) que sabendo de meu amor por uma boa fotografia – além da procura por títulos não coreanos – insistiu que eu o assistisse. Não sou estudante de cinema mas sou graduada pela escola de Belas Artes da UFBA, então os ambientes em atelier me deram uma sensação de nostalgia e eu podia jurar que consegui sentir o cheiro de tinta óleo nas cenas do Ze Yi. >__<

Where The Lost Ones Go não tem o roteiro mais organizado, houve bastante cena que me deixou com uma cara de interrogação, no entanto seus prós contam mais que os contras. Ele foi um dos poucos dramas que assisti trazendo o recurso de quebra da 4ª parede, isto é, quando determinado personagem olha para a câmera e fala com quem assiste (como se estivessem dentro de uma caixa e existem duas paredes ao lado, a parede do fundo e a parede da frente que é onde o público se encontra; ao falar com o público, os atores estão quebrando a quarta parede). Isso costuma acontecer mais em cenas de filmes e desenhos, pois provoca no público uma aproximação dos personagens de modo direto, como se pudéssemos olhar nos olhos deles. Nos momentos em que aconteceu, suas falas ganhavam um peso emocional.

Eu diria que apesar dos erros foi interessante acompanhar e perceber como os chineses lidam com os sofrimentos do cotidiano, seus acasos e ironias do destino. Fiquei feliz em conhecer mais atores e atrizes da China, afinal só contava uns do histórico que assisti e fazia tempo que não via um atual chinês com uma roupagem tão poética. Mesmo com uns desfechos e plots apressados, tudo foi bem resolvido no final.

Onde assistir?

Where The Lost Ones Go está disponível com legendas em português no Star Dramas Fansub em parceria com a DramasK Fan.

Trocando em miúdos

Dizem que o tempo cura tudo, mas se você não estiver disposto a ser curado não adianta nada.

“Obrigada por segurar minha mão nessa jornada.”

Compartilhe ♥

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *