Viagem ao mundo BL: HIStory2 – crossing the line, SOTUS e Ossan’s Love

Olá [email protected] lutando contra o preconceito, aqui quem escreve é a eds, surtadíssima! Antes de mais nada, quero deixar registrado que esse post é uma opinião super leiga no assunto BL (do inglês Boys Love, amor entre garotos) pois os 03 dramas que vou recomendar são justamente os únicos 03 que completei no gênero BL, que é um verdadeiro mundo à parte no universo dramaland, dentre seguimentos de tema que nos são oferecidos.

Vale salientar que, se comparado aos demais dramas, o BL funciona como webdrama, pois seu formato mini garante uma divulgação pesada em apps como LINE TV, além de sua grande maioria estar disponível no youtube com legenda em inglês. Mas não se preocupem, há fansubs pt-br especializados no gênero, com um catálogo atualizadíssimo, que irei indicar. Então, vamos em frente que atrás vem SHIP! E nessa viagem eu espero que você possa escolher o seu, ou assistir logo todos 😀 Cada um será recomendado no intuito de demonstrar o BL em 03 países: Taiwan, Tailândia e Japão, respectivamente.

HIStory2: Crossing the line

O que dizer sobre esse BL de Taiwan que foi o meu primeirinho? O surto foi tanto que re-assisti (e isso acontece em raras ocasiões devido minha lista infindável de dramas em espera!). O formato de 08 episódios curtos também me fez não desistir de apostar de novo meu tempo, afinal eu tava decepcionada com a minha primeira tentativa de um BL ter caído naquele plot ABUSIVO que é ADDICTED HEROIN (dropado sem dó). Sorte que fui salva do ranço por causa de Crossing the line

HIStory2: Crossing the line faz parte da segunda leva da série HIStory, por isso o 2. Além dele há mais 6 BLs (Obsessed, Stay away from me, My hero, Right or wrong, Trapped e Make our days count) com grande aceitação de público. Se trata de um BL escolar onde o elo da estória está no vôlei, por isso o nome, numa tradução livre, fica algo como “cruzando a linha” (da quadra, mas pode ter mais de um sentido Σ(゜ロ゜;).

Também conhecido como: HIStory2 – Boundary Crossing, HIStory2 – Love Over the Line, HIStory2 – Yue Jie | 08 episódios de até 25 minutos | exibido em Março/2018 pela CHOCO TV

Fandy Fan interpreta Yu Hao, um jovem problemático que foi transferido de escola por se meter numa briga na anterior, junto com seus amigos inseparáveis Zhen Wen (Yang Men Li) e Li Qin (Patrick Shih). Ao chegar na nova escola é perseguido pelo diretor que não suporta sua indisciplina. Num belo dia ele tromba com Qiu Zi Xuan (Yan Ze Lu), aluno exemplar e ex-melhor jogador do time de vôlei e He Cheng En (Yi Hong Xie), capitão do time, que ficam impressionados quando Yu Hao pula um muro com a desenvoltura de um ginasta para fugir de uma coça do diretor e o convencem a entrar no time e defender os sonhos que Zi Xuan não pôde completar no torneio.

O que mais me impressionou em Crossing the line foram os olhares dos leads, um detalhe essencial, de meu agrado eterno! Yu Hao e Zi Xuan diziam muito numa simples troca de olhares e expressões. Os próprios diálogos ficavam ainda melhores entre eles, por causa dessa capacidade dos atores em deixar tudo natural.

Os personagens secundários, como no caso da irmã do Zi Xuan que gostava do Yu Hao, não foram lá muito insuportáveis a ponto de estragar essa “descoberta de sentimentos”, especialmente no caso do Yu Hao que vai de implicante a admirador (eu diria fanboy kkkkk) daquele garoto prodígio que era Zi Xuan, entendendo sua paixão pelo vôlei e a importância do trabalho de equipe. Pelo contrário, parece que todos de um jeito ou de outro funcionavam como culpido do OTP.

“A essência do gostar estar no gostar em si, não muda por causa do gênero da pessoa.”

A estória é curta, sem muitos conflitos, e passaria por comédia romântica se não houvesse a parte da confissão de sentimentos que nos BLs quase sempre se torna o plot central, o clímax. Mesmo quando há um “mundo ideal”, como é o caso desse BL, em que não há censura de nenhum personagem sobre o amor independente do gênero.

Mesmo sendo tão pequeno, Crossing the line ainda conseguiu abordar mais de um ship, tendo os amigos do Yu Hao também com seus problemas de identidade entre saber se era permitido ou não amar quem eles queriam… Mas a estória é linda pra todos os ships e isso é tudo o que posso lhes garantir, então assistam sem medo de trauma!

Onde assistir?

HIStory2: Crossing the line está disponível no youtube em inglês, espanhol e no Pi Fansub (não é necessário cadastro) em pt-br ♡♡+.゚(→ε←*)゚+.゚

Sotus: the series & Sotus S

Sim SOTUS é isso tudo mesmo e eu descobri o porquê: os atores Krist Perawat e Singto Prachaya, que deram vida aos leads, praticamente viveram a novel (livro) que baseou a estória desse BL! Como assim? Calma, eu vou explicar…

Sotus: The Series

Também conhecido como: Sotus The Series P with Mr. Waugh bad one | 15 episódios de até 40 min | exibido de Agosto/2016 até Janeiro/2017 pela GMM One TV

S.O.T.U.S é uma sigla do sistema organizacional da faculdade de engenharia, que hierarquiza veteranos e calouros para aprenderem a ter disciplina, respeito e senso de responsabilidade. O símbolo da engrenagem representa seus corações, doados a esse curso.

Nessa primeira temporada, Kongpob (Singto Prachaya) é o calouro que não leva desaforo pra casa enquanto Arthit (Krist Perawat) é o veterano líder daquele ano, chamado head hazer, que se sente diretamente ofendido com a audácia do nosso pequeno gafanhoto cheio de charme e de uma lábia tão certeira (mas nada arrogante) que poderiam conquistar qualquer um. Até mesmo transformar um veterano marrento em ~sua esposa~.

“Dizem que quando se gosta de alguém a maneira mais usada pra se ganhar atenção é provocando essa pessoa, certo? Se você me provoca tanto, então, eu acho que tu gosta de mim…”

Sobre a novel ser “baseada” na história de vida deles é o seguinte: acontece que o Singto e o Krist passaram por esse mesmo regime veterano X calouro, só que ao contrário! Singto era o líder e Krist o calouro. Penso que isso contribuiu de forma imensa na química de ambos, pois sua amizade dentro e fora das câmeras e seu ship real chamado Peraya (PERawat + prachAYA), segue firme até hoje ♡〜٩(^▿^)۶〜♡

Outro ponto forte de Sotus The Series são os grupos de veteranos e calouros, ambos com suas piadas internas em cenas de alívio cômico. Nessa primeira temporada o jogo de gato e rato predomina, então as provocações são constantes tanto entre dois grupos, em diversos eventos e etc. Tenho pra mim, que os amigos de ambos descobriram um forte sinal de crush recíproco antes mesmo que os leads se reconhecessem gostando um do outro. Se por um lado Kong tinha frases de efeito de derreter qualquer pessoa, Arthit não dava o braço a torcer. Não era caso de estar se fazendo de difícil… mas sim por não entender o que estava sentindo, nem ter a confiança que o Kong sempre teve.

Quanto aos ships secundários em Sotus The Series apenas apareciam em cenas mais espaçadas e não tiveram tanto desenvolvimento pessoal. A estória foca mesmo nas fases de negação, questionamento e aceitação entre os leads e seus sentimentos. O final não é aberto, entretanto o sucesso do BL foi tanto que gerou mais uma temporada.

os sorrisos…
e os beijos mais naturais que já assisti ;-;

Sotus S

Também conhecido como: Sotus S The Series | 13 episódios de até 45 min | exibido de Dezembro/2017 até Março/2018 pela GMM One TV

Dois anos depois da linha histórica da primeira temporada, Kongpob agora é o head hazer, líder de sua turma e está começando seu terceiro ano de engenharia. Arthit, já formado, consegue um emprego fixo numa empresa de eletrônicos tendo contato com o mercado de trabalho e colegas de profissão das mais diversas índoles e atitudes. Arthit percebe que vai ser preciso ser mais dedicado e atento do que quando estava na universidade, afinal a realidade agora é outra… Será que Kongpob ainda terá espaço e importância em sua vida?

Calma, não se assuste com os gif anterior pois Sotus S não é pura sofrência. De fato, amadurecer não é bolinho ainda mais enfrentando os desafios do primeiro emprego. Parece que não se tem tempo pra nada, há que seja amigável e te acolha mas também há outros que lhe empurram responsabilidades que não são suas… Então, mesmo tendo um companheiro lhe amando muito, apoiando e ligando todo dia, ainda assim não é fácil conciliar os perrengues da vida. Mas acredite, KongArt é duro na queda, ainda mais quando se fala de Kongpob.

O conflito maior de Sotus S se dá justamente pela insegurança ainda enooooorme de Arthit, que se vê cada vez mais vulnerável diante da vida e das novas responsabilidades e rotinas… Kong, por outro lado, faz o que pode para se manter (literalmente) ao lado do seu amado, provocando no Art uma montanha-russa de sentimentos, da raiva, conforto e até admiração pela perseverança incansável do nosso pequeno gafanhoto.

♥ A fotografia também não deixa nada a desejar ♥

Ainda há espaço para mais ships na estória, com mais cenas e estórias próprias que a primeira temporada… porém os enxerguei apenas num bônus do entorno, que intervia, ajudando ou não, e acompanhava o desenvolvimento da maturidade emocional de KongArt.

chora não bebê ;-; ♫

Sotus S também conta com cenas especiais a cada final de ep, demonstrando o que se passou naquele intervalo de dois anos. Foi como se quisessem demonstrar a profundeza do amor deles e como esse elo não seria quebrado assim tão fácil, a cada diálogo, cada gesto. Eu me sentia inspirada e confortada vendo a atuação destes dois, pois dava um quentinho no coração tão bom ( ˘͈ ᵕ ˘͈♡)˚๐*˟ ♡

Sotus é uma estória tão mas tão boa ainda contou com um spinoff, num episódio dedicado a Kong e Arthit dentro do especial Our Skyy. O episódio deles é o 5, último do mini, e conta com mais skinship ;* e demonstrações de afeto que a primeira e a segunda temporada juntas (é o que dizem, apesar de eu amar tudo e todos ;-;). Mas também só confirma o quanto Krist e Singto são impecáveis, de uma simples troca de olhares até uma DR séria sobre o futuro de ambos, pois Kong está pra ir a um intercâmbio e dessa vez ele terá de escolher se vai ficar mais de um ano longe do amor da sua vida. Vale muito a pena assistir! (◍•ᴗ•◍)♡ ✧*。

♥ Meu Sol, minha Lua ♥
vc tb vai ficar com saudade deles ;-;

Onde assistir?

Sotus: The Series e Sotus S estão disponíveis no Pi Fansub (não é necessário cadastro :)) assim como o especial Our Skyy ♡〜٩(^▿^)۶〜♡

Ossan’s Love

Eu poderia resumir Ossan’s Love (que significa “o amor de um tiozão” pois Ossan é o que chamamos de tiozão em japonês) não como um BL, mas como o drama de comédia romântica mais louco que já assisti. Sério, Eulachacha Waikiki pareceria normal perto de Ossan’s Love. Contudo, foi justo essa maluquice que me fez continuar apesar do medo de dropar (paradoxo? talvez kkkk)… com o velho clichê do “solteiro que arranjou colega de quarto que se torna mais que isso” porém subvertendo papéis de gênero, tratando de várias questões que só a fase adulta pode incorporar, incluindo separações, diferença de idade e se reconhecer amando outro cara mesmo depois de passar pela loucura da adolescência e ~achar~ que tava com a sexualidade bem-resolvida.

Também conhecido como: Ossan zu Rabu , Old Man’s Love | 7 episódios de até 40 min | exibido de Abril/2018 até Junho/2018 pela TV Asahi

Haruta Soichi interpretado pelo rei das caras e bocas Tanaka Kei é um corretor de imóveis que em plenos 33 anos nunca namorou sério porque nenhuma mulher dava condição a ele, nem mesmo sua melhor amiga Chizu (Uchida Riu). Eis que sua mãe lhe dá um ultimato deixando o pobre morando sozinho pra aprender a se virar em casa e quem sabe aprender a ser mais independente nesse sentido.

Adivinha o que ele faz? Descobre que seu recém colega de setor e profissão na empresa – o homem dos olhos de mel e mãos de fada Maki Ryota (Hayashi Kento) – está procurando uma casa próxima ao trabalho e o convida pra morar com ele. Nesse meio tempo Haruta recebe uma confissão de amor inesperada do seu chefe, Kurosawa Mushashi (Yoshida Kotaro), que já o admirava há tempos…

“Você pode me dizer 10 coisas boas sobre o Haruta?”
“E você pode me dizer 10 coisas ruins?!”

Sem dúvida nenhuma a melhor coisa de Ossan’s Love são as expressões e reações pra lá de exageradas do Haruta. Você tem vontade de meter o soco nele numa hora e daqui a pouco pensar, poxa, mas imagina essa pessoa tendo que lidar com tanta descoberta a essa altura da vida?

Nada como estar bem alimentado kkkk
Quando você achar que já viu de tudo nessa vida…

Eu levei uns eps até perceber o valor dos exageros nesse BL. Contudo, o personagem que logo me conquistou foi mesmo o Maki, com seus olhos brilhantes de cachorro sem dono kkkkk Mas falando sério, de todos os personagens que citei aqui, Maki foi o mais decidido em relação ao que sentia, até porque não era novidade para ele estar gostando de um cara.

você diria não a esse homem? kkkk
Os diálogos do Maki sempre tinham um fundo de sensatez…

Eu diria que Ossan’s Love é essencial para se perceber que BLs são muito mais que meros frutos do calor da juventude. HaruMaki é um ship lindo mas que estava em meio a um triângulo amoroso SÓ FORMADO por homens. Aliás, um quadrilátero (◎ω◎*)

prestem atenção a esse personagem ^^^^

Haruta, ao meu entender, não se encaixava em homossexual mas sim em bi, pois suas dúvidas entre gêneros não eram hipóteses mas fatos. Foi tudo acontecendo duma vez e a cada ep era uma confissão seguida de um conflito. E o pobre cada vez mais confuso Σ(・Д・)!?

Em meio a tudo a comédia era o que dominava, com direito a Haruta ser chamado de “destruidor de lares” no sentido mais caricato da expressão, porque tinha provocado uma separação de um casal que estava junto há anos como foi o caso do seu chefe >_< Haruta parece ser uma maria-vai-com-as-outras, sempre terceirizando suas decisões, dependendo da atitude alheia e indo com a maré da loucura, mas o desfecho de Ossan’s Love não decepciona (╯✧∇✧)╯ ♡ ♡ ♡

Os leads novamente dão um brilho especial ao arrematar da trama você vai estar afirmando: VIDA LONGA A HARUMAKI! E eis que a torcida pra vida ser tão longa deu certo e agora temos Ossan’s Love: Love Or Dead no cinema japonês em cartaz e que eu já to DOIDA PRA ASSISTIR e ver HaruMaki de yukata feito um casalzinho no festivalzinho (●♡∀♡))ヾ☆*。

Os sorrisooooos ♥

Onde assistir?

Adivinha onde tem Ossan’s Love pra assistir? isso mesmo, no Pi Fansub (um catálogo desses bicho! eles também tem outras séries LGBTQ+ além de BLs como Hormones).

Mas, e a Coréia do Sul?

Então, gente, antes que alguém se faça ou me faça essa pergunta, como pessoa leiga no assunto mas que ao mesmo tempo tem um desejo de poder encontrar diversidade em tudo o que assiste, eu digo que tentei catar algum BL coreano para indicar aqui. Porém, o único que comecei de fato pois me disseram que era o “melhorzinho” (Long Time, No See) não terminei.

Pude notar alguns webdramas que insinuavam romance no bromance mas, até na opinião de gente que consome mais essa indústria que eu, a Coréia do Sul não parece lá muito interessada em investir no protagonismo desse tema (para além de filmes e produções independentes, quero dizer).

Daí o jeito é reconhecer o esforço quando algum personagem LGBTQ+ dá certo, a exemplo de Reply 1997 que, embora fosse um kdrama “de época” numa grande emissora (a tvN), não deixou a estória do personagem do Hoya de lado, nem a transformou em bromance ou comédia SNL (tanto que ganhou algo como uma menção honrosa pelo “casal que nunca aconteceu” junto com o Seo In Guk, na época de premiação do drama).

xiè xiè, khorb khun mark, arigatō ~♥

Eu sei que esse post ficou ENORME então meu sincero OBRIGADO a quem chegou até aqui! Deu pra perceber que Taiwan, tailândia e Japão tem suas diferenças de localidade e idioma mas o sentimento transmitido por esses BLs foi sempre o de torcida e surto pra tudo dar certo *-* Espero que mais pessoas saiam inspiradas ou ao menos respeitando e entendendo quem pira tanto num BL ✧。٩(ˊᗜˋ)و✧*。

Love is Love!!! ♡♡>☆* ヾ(⌒ヮ⌒)ゞ <♡♡☆*。

Compartilhe ♥

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

shares