Eu pensei diversas vezes se ainda publicaria este post já que estou tão atrasada. Geralmente meu especial de TOP 10 dramas do ano sai no máximo até a segunda semana de janeiro. No entanto, como podem ver, já é final de fevereiro, quase março e aqui estou, na maior cara de pau. Pensei e pensei de novo, porém cheguei a conclusão de que minha consciência não me deixaria seguir em frente com os posts de 2020 se eu não escrevesse este, que para mim, é como o fechamento de uma etapa. Então, tudo bem me chamarem de atrasada. Espero que ainda assim, possa ajudar quem procura os melhores dramas de 2019 para assistir. Ou até mesmo, que este post traga boas lembranças aos dorameiros atualizados.

Numa breve retrospectiva, acredito que 2019 tenha sido um ano em que as emissoras resolveram abordar temas mais obscuros e realistas em suas produções, mesmo que em proporções mais leves quando aliadas a humor e romance. Bons exemplos de temáticas pesadas são: SKY Castle, uma crítica às famílias ricas e seus métodos absurdos de competição entre si usando seus filhos, Children Of Nobody, um drama de suspense psicológico que aborda abuso infantil das formas mais tristes e cruéis. Ao longo do ano tivemos também Beautiful World, que no começo parecia pegar o gancho de bullying escolar de SKY Castle, porém passa a ser um drama com ótima mensagem sobre respeito, a importância da família e, mais uma vez, a corrupção do ser humano. My Strange Hero também seguiu a mesma linha dos problemas escolares e nos mostrou como pode ser trágico destino de pessoas que se sentem perdidas e transtornadas e, como isso pode afetar sua própria vida e de todos ao seu redor. Class of Lies foi mais um drama focado em estudantes e seus problemas familiares, estudantis, assédio e bullying em níveis absurdos.

Também tivemos bons dramas de crime e investigação como Confession, Doctor Prisoner, He is Psychometric e Less Than Evil. Mas esses, agradam um público menor entre os dorameiros. Eu particularmente adoro e, com quem pude conversar sobre, percebi que eram os favoritos. Ressaltando rapidamente: a fotografia de Doctor Prisoner é espetacular. Tons de laranja e azul em cenas bem produzidas é pra encher os olhos de qualquer amante de cinematografia e direção de arte.

Dramas de época também não agradam todo mundo, no entanto é o meu tipo favorito e, esse ano não pude reclamar pois todos os que vi foram ótimos. My Country, Haechi e Nokdu Flower são ótimas produções, falando de enredo a elenco e técnica.

Dramas da imagem: When The Camellia Blooms, Be Melodramatic, Romance Is a Bonus Book e Doctor Prisoner.

Outra característica marcante deste ano foi o protagonismo feminino tomando proporções inesperadas. Pode parecer que o avanço foi pouco, mas comparado ao que víamos alguns anos atrás, o mundo dorameiro realmente está mudando e isso é motivo de comemoração. Bons exemplos nessa categoria são: When the Camellia Blooms, com uma protagonista que é mãe solteira e dona de um bar, Be Melodramatic, com personagens principais mostrando que a vida não é fácil pra ninguém e ao mesmo tempo nos dando ânimo para continuar, Rookie Historian Goo Hae-Ryung apresentando como era a vida das primeiras historiadoras mulheres, Search: WWW com três protagonistas talentosas e bem sucedidas na área da tecnologia e internet, SKY Castle com um elenco feminino sem defeitos e Hotel Del Luna, com a protagonista que rouba o drama todo pra ela.

E claro, não posso deixar de citar os que fizeram muito sucesso, de tão apaixonantes que são. Os românticos Her Private Life, retratando melhor que nunca, como é a vida agitada dos fãs. Angel’s Last Mission Love que não sabia se fazia os dorameiros morrerem de amor ou de preocupação. The Secret Life of my Secretary com a fofura de um drama que tinha tudo para ser mais um clichê bobo e conquistou todos nós. Sem falar que o ano começou com a volta de um casal que nos fez chorar tanto em Goblin, mas nos fez sorrir como criancinhas em Touch Your Heart. E aquele romance icônico de Romance Is a Bonus Book, que chegou como quem não queria nada, com a temática do mundo das editoras e dos livros e acabou sendo um dos queridinhos desse ano com toda a sua sensibilidade ao relacionar humanos e livros. E Extraordinary You, que também foi desses que ninguém esperava nada, mas roubou a atenção, o coração e todo amor dos dorameiros no finzinho do ano, trazendo uma história gostosa e um casal tão doce. É… acho que 2019 foi um bom ano para os dorameiros românticos.

Agora, segue a minha lista de melhores do ano. Provavelmente é bem diferente da sua e, por isso, quero pedir que no final do post, você faça sua lista também para ajudar quem quer mais opiniões.

10º – Doctor John

Infelizmente ainda não fiz resenha desse drama porque perdi o timing, perdão. Haha Pretendo fazer ainda, mas há outros nesse post mesmo, que estão na frente, então vocês podem me esperar só mais um pouquinho?

A verdade é que sigo até hoje pensando no Ji Sung toda vez que o assunto dor e eutanásia vem à tona.

Doctor John é um drama médico em que o assunto principal é sobre o impacto da dor em cada paciente, como cada caso é diferente do outro e que cada um tem o poder de escolha da sua vida, apesar do que a medicina diz ser o certo. Há pacientes em casos de dor extrema que preferem a morte, principalmente quando seu destino já está determinado com doenças incuráveis, enquanto pessoas “do lado de fora” dizem que eles precisam lutar pra sobreviver até o último instante. É um assunto polêmico abordado na trama através de diferentes perspectivas que nos fazem refletir muito sobre o assunto.

Pra mim, um drama espetacular e de fato interessante, que foge dos clichês das histórias que se passam nos hospitais sul coreanos.

9º – My Country: The New Age

“Se a Mari elogiou tanto My Country, por que ele está em nono lugar?” deve ser a pergunta que está na sua cabeça agora. Não consegui subir esse drama na minha lista simplesmente pelo fato de que os outros dramas me conquistaram de outras formas. My Country tem uma excelente história, mas em questão de mexer com meu coração foi um pouco – mas bem pouco mesmo – menos profundo que os outros.

O que torna My Country tão diferente e tão interessante é o foco da trama que está basicamente na amizade dos protagonistas Seo Hwi e Sun Ho e como seu relacionamento é abalado pela queda da dinastia Goryeo e a criação de uma nova nação. O roteiro conta com uma mistura de realidade e ficção, o que torna ainda melhor a experiência para os telespectadores que gostam de história.

Para situá-los no contexto histórico da trama: a dinastia Goryeo teve início em 918 e sua queda aconteceu em 1392, liderada pelo General Yi Song Gye, que tornou-se o primeiro rei da nova nação criada: Joseon (1392-1897). O momento do drama é justamente esse em que o General Yi tenta a todo custo derrubar a dinastia Goryeo, com muita inteligência e estratégia, mas também através de inúmeras batalhas e mortes.

É aí que entram nossos personagens fictícios Sun Ho e Seo Hwi, dois melhores amigos que cresceram muito próximos, mas em circunstâncias completamente diferentes e, por isso, nesse momento turbulento, devem escolher um caminho para seguir, um caminho que acreditam ser o melhor para seus ideais, suas famílias e principalmente seu país.

Você pode ler a resenha completa aqui.

8º – My Strange Hero

Tão bom não esperar nada de um drama com nome não muito atrativo e pôsteres menos chamativos e ainda ser surpreendida pela ótima abordagem da temática de corrupção do sistema escolar, vingança e os efeitos que tudo isso pode causar na vida de alunos, professores e famílias.

Eu subiria My Strange Hero na lista, fácil, fácil… Quem me conhece sabe como amei esse drama na época de exibição, não só porque fui surpreendida por não esperar absolutamente nada da história, mas também porque esse elenco tem meu coração.

My Strange Hero fala sobre o sistema corrupto e discriminatório de uma escola, com um protagonista que sofreu injustiças e agora quer vingança mas acaba se deparando com casos ainda piores e pessoas que precisam de sua ajuda. Os personagens passam por uma evolução surpreendente e em meio a vingança ainda tem espaço para o desenvolvimento de um romance encantador.

Além de mostrar como o sistema escolar sul coreano pode ser tóxico, a narrativa também abrange assuntos como corrupção nas escolas particulares, e como isso afeta diretamente os alunos, vivenciando discriminação por classe social e por “nível de inteligência”. A escola simplesmente separa os alunos através de suas notas ou pelo dinheiro que é pago pelos seus pais. Sem dúvidas, é um sistema cruel e nojento, onde alunos com dificuldades para aprender são deixados de lado como se não fossem capazes de melhorar, são tratados de forma diferente, como se fossem casos perdidos.

Bok Soo (복수) significa literalmente vingança, e esse é o nome do protagonista, Kang Bok Soo. Enquanto muitos podem relacionar o nome dele ao nome do drama que além de My Strange Hero, também é chamado de Bok So is Back, para fazer analogia ao conflito principal da narrativa, que é o protagonista “se vingar” do que aconteceu com ele no passado.  Além disso, a trama não é somente sobre a tão esperada vingança, até porque ela demora um pouco para acontecer de fato, mas trata sobre crescimento pessoal dos personagens enquanto pessoas, pais, professores e alunos. 

Leia a resenha completa nesse link.

7º – Angel’s Last Mission: Love

Não publiquei resenha desse drama porque a época que terminou foi um momento muito caótico para mim, mas sempre lembro disso e pode deixar que assim que tiver um tempinho a mais, farei um post merecido para essa preciosidade.

Acredito que todos os dorameiros tenham ouvido falar de Angel’s Last Mission Love. Foi um drama que apesar de ser fofo e romântico, também trazia uma história repleta de plot twists que nos faziam pensar e criar teorias – muitas teorias! – sobre os personagens e seus destinos.

A história é sobre uma bailarina famosa que perdeu seus pais, cresceu num ambiente de competição e, com isso, desenvolveu uma péssima personalidade. Para piorar, ela sofre um acidente e perde a visão. Sentir amor por alguém, seria para ela a coisa mais difícil de realizar e essa é a missão de um anjo que entrou em problemas e agora precisa fazer a princesinha de gelo amar.

É um misto de preocupação, raiva da protagonista no começo, raiva de outros personagens, mais raiva das situações e muito amor pelo anjo. Um romance lindo. ♥

6º – Be Melodramatic

Este é mais um drama que quero fazer resenha muito em breve e assim que possível, volto atualizar essa lista. Mas vamos falar brevemente sobre ele.

Be Melodramatic é um drama que foi inspirado no filme Twenty (2015), uma comédia sobre jovens em seus 20 anos e seus problemas. Agora com uma versão feminina, temos três protagonistas em seus 30 anos enfrentando situações em diversas áreas da vida, sendo as principais: trabalho, amor, filhos, ansiedade e depressão. Apesar dos assuntos sérios, o drama tem um tom de bom humor que deixa a trama gostosa de assistir ao mesmo tempo que levamos várias surras da história, que sobretudo pretende e consegue chamar nossa atenção e nos inspirar.

Ao mesmo tempo que o drama é um alerta sobre como estamos vivendo, também é possível nos identificarmos e refletirmos sobre nossas escolhas. E que não, não é drama da nossa parte. Os problemas existem e não podemos deixar de lado para resolver depois.

5º – Nokdu Flower

Se não tivesse mais um drama de época nessa minha lista, seria muito estranho, não é mesmo? Nokdu foi tão emocionante!

Nokdu Flower é um sageuk baseado em fatos históricos. O tempo da narrativa é justamente nas revoluções que deram origem a um dos momentos mais turbulentos para os coreanos. A trama é repleta de personagens inspiradores, que com suas histórias, cativam e emocionam. Os quatro personagens principais estão conectados embora seus objetivos e perspectiva sejam completamente diferentes.
O drama de época que se passa longe dos palácios foca na luta de um povo que está quase sem esperanças. E essa luta é duradoura, sofrida e trágica, no entanto a mensagem que fica é de esperança e coragem.

“A guerra vem do ódio, mas essa luta vem do amor.”

Leia a resenha completa aqui.

4º – The Fiery Priest

Este é mais um daqueles dramas que parece ter sido esquecido nas premiações de fim de ano. Eu quase nem o vi ser citado em alguma categoria, mas na minha lista, pelo menos, The Fiery tem um lugarzinho especial. Como eu comento na resenha, o plot principal parece ser mais do mesmo, no entanto como ele foi desenvolvido e com personagens tão exóticos, não teve como não amar essa turminha.

The Fiery Priest é um drama de comédia e ação com uma história que apesar de ser simples, tem personagens fortes com um excelente desenvolvimento e um elenco que fez toda a diferença. A produção também é impecável, tornando um dos melhores dramas do gênero.

Sim, o plot principal parece ser bem normal e mais do mesmo em dramas coreanos de investigação. Que novidade há em alguém querer fazer vingança pela morte de um inocente que foi usado para cobrir erros de poderosos, políticos e corruptos da cidade?
Contudo, a história ainda é muito boa, e o roteiro faz uma mistura gostosa de comédia, drama e ação. No meio de diversos momentos de raiva também podemos rir muito das situações mais inusitadas e bizarras possíveis. Há quem não goste do tipo de humor desse drama que em algumas ocasiões tende a ser mais “pastelão”. Também há quem ame – como eu – principalmente pela mistura de bom humor no meio das investigações.
E por isso, o drama flui bem, com uma história que nunca fica cansativa e é muito clara, sem muito o que pensar ou desvendar, é pra sentar e assistir o drama curtindo e rindo muito mesmo.

Leia a resenha completa aqui.

3º – SKY Castle

Claro que o drama sucesso do finzinho de 2018 e começo de 2019, tinha que estar nessa lista. Vem comigo que SKY Castle é bom demais!

SKY Castle trata sobre um assunto sensível. Pode parecer um pouco de exagero ao falar que famílias ricas competem entre si para ver quem tem “o melhor filho”, ou melhor dizendo, “o melhor sucessor”. Mas infelizmente é uma realidade, principalmente em países asiáticos.

As famílias “perfeitas” na verdade escondem segredos sujos. E toda essa ambição por poder, dinheiro e sucesso os levam a casos de tortura e abuso, mas que em seus olhos é “querer o melhor” para o seu filho. É tão triste, mas tão real. As crianças e os jovens sofrem de diversas formas e as famílias que parecem fortes, podem se desfazer a qualquer momento. Os resultados dessa “pressão” são cruéis e trágicos, podem gerar ódio, traumas e até suicídio, como todos sabemos de casos REAIS.

O que torna tudo ainda mais interessante de acompanhar é que o drama também aborda a situação de diferentes tipos de pais, mães e filhos diante dessa situação. E que mães e filhos!Elas são como guerreiras numa batalha. Elas são estrategistas e elas podem virar o mundo do avesso para conseguir o que querem. Ah, e elas conseguem viu. Às vezes para o bem, às vezes para o mal, às vezes conscientes do erro, às vezes não. Adorei a forma como roteiro une as histórias das famílias através dessas personagens. E eles são vizinhos, amigos e rivais, tudo ao mesmo tempo.

Leia a resenha completa aqui.

2º – The Light In Your Eyes (Dazzling)

Este é mais um drama que foi logo no comecinho de 2019 mas que guardo com carinho em meu coração. The Light In Your Eyes é praticamente uma surpresa em forma de drama e não importa o tanto que eu tente dizer que ele é incrível, não vou conseguir expressar a delicadeza e a profundidade que esse drama aborda, principalmente por ser um assunto ainda mais delicado. Não posso falar muito pois a graça dele é descobrir assistindo.

The Light In Your Eyes, ou Dazzling como também é chamado, é um drama mais curto que os “normais”, com apenas 12 episódios. Mas sua história é densa e impactante. O roteiro é uma obra prima, aborda assuntos como família, amizades e a importância do tempo e da vida.

Não se trata de uma comédia romântica, muito pelo contrário. O drama me deixou com o coração na mão. Chorei, sorri, chorei, chorei de novo. Mas a sensação é de ter visto um dorama único, com uma história tão real e fascinante. Não esperava essa profundidade ainda mais num drama de 12 episódios, foi uma grata surpresa.

The Light In Your Eyes proporciona várias lições de vida, mas acredito que a mais marcante, pelo menos pra mim, é como a história aborda o tema da terceira idade e nos faz pensar no assunto. Pensar em como serei quando eu for uma idosa, e pensar que o mundo diz respeitar os idosos, mas a realidade é bem diferente. Também aborda de forma acolhedora temas de família e amigos, relacionamentos importantes para qualquer ser humano, e muitas vezes mais importante que romance. E ainda que devemos viver cada momento como se fosse único. Não podemos desperdiçar o tempo e não somos capazes de controlá-lo


Leia a resenha completa aqui.

1º – Children Of Nobody

E o meu primeiro lugar fica com Children Of Nobody porque é sim um tesouro precioso nessa dramalândia. Aproveitando que o cinema sul coreano está em alta e sabendo que os tons das narrativas para a televisão e para o cinema são bem diferentes (aproveito para indicar este post do Blog Além do Que Se Vê sobre essas diferenças), quero ressaltar que Children Of Nobody se aproxima muito do que vemos nos filmes coreanos. Essa temática mais sombria e realista é justamente o que me fez gostar tanto desse drama.

No começo de 2019, foi quando este drama terminou. Lembro como se fosse hoje do meu vício e como cada segundo era angustiante mas ainda me prendia. Vi e revi diversas cenas, fiquei ouvindo a trilha sonora por meses seguidos. Foi o motivo de discussão em meus grupos de dorameiros e amávamos falar sobre o quanto esse drama foi uma perfeição em questão de enredo e atuações. Não saberia nessa época, que hoje, fevereiro de 2020, Children of Nobody ainda me traria os mesmos sentimentos.

Children of Nobody, também conhecido como Red Moon, Blue Sun é um suspense psicológico com uma temática pesada sobre abuso infantil. Um dos melhores dramas do gênero que já vi, o roteiro é bem escrito e não há uma falha sequer ou ponta solta nesse drama.

O drama nos mostra personagens machucados, não só fisicamente, como psicologicamente. Desde as crianças da história até os adultos, todos tem alguma pontinha de trauma e dor que os assombram. O enredo é forte, é cruel e sombrio. É impossível não se arrepiar com as cenas que mexem nossa cabeça e os diálogos intensos e profundos nos tiram o ar.

Leia a resenha completa aqui e assistam essa obra de arte.

Menções de honra

Agora quero comentar rapidamente sobre esses dramas que não estão entre os 10, mas ainda me conquistaram. Um deles é When The Camellia Blooms, que já comentei também nesse post. Não só pela protagonista sem igual, como também pela abordagem da vida cotidiana de vizinhos num bairro simples. Esse drama não passa o ar de grandeza, nem foca em famílias ricas e seus dramas sobre dinheiro e poder. Aqui temos histórias com pessoas e problemas realistas, coisas que podemos nos identificar. O drama tem muito bom humor, os personagens são na maioria doces e de quebra ainda tem um suspense investigativo.

Um drama que na verdade é uma adaptação de série americana, mas merece ser citado aqui principalmente pela produção e pelas atuações excelentes: Designated Survivor: 60 Days. Quem gosta de tramas políticas, jogos de poder e estratégia, essa é uma ótima opção.

Destaque também para Catch The Ghost. Se você acompanhou meus últimos posts no blog, pode notar que este é um dos meus queridinhos do ano. Ainda não entendo como foi deixado de lado pela maioria do público dorameiro brasileiro. E agora, um outro drama que foi um amor: Extraordinary You. Peraí, outro: The Secret Life of My Secretary. Simples assim. 🙂

Se você quiser saber mais sobre os dramas desse ano, também recomendo esse post bem legal da Sá do Dramas Revise com um guia ótimo dos dramas de 2019.

Lembrando que este post é todo baseado em minha opinião sobre os dramas do ano. Você pode clicar aqui se quiser ver o resultado da votação do LoveCode Awards, onde todos os leitores puderam escolher os melhores.

Por fim, quero agradecer a todos que estiveram presentes comigo e a equipe do blog neste ano. Obrigada de coração, por todas as trocas de opinião, pelos comentários, sugestões, críticas e pelas mensagens de apoio na minha ausência. Você leitor e leitora desse blog é que o mantém no ar. Está um pouco tarde pra dizer isso, mas nunca é demais: que seu 2020 seja um ano lindo e que os dramas sejam cada vez melhores. ♥

Até logo,
Mari.

Designer, publicitária, viciada em gatinhos, café e doramas. Criadora e autora do LoveCode - que publica conteúdo sobre entretenimento asiático há nove anos.

3 Comments

  1. Eu fiquei super feliz por CHILDREN OF NOBODY ter ficado em primeiríssimo lugar na sua lista. Esse drama me marcou de uma forma inexplicável; um misto de devastação e melancolia. Por isso fiquei e continuo muito decepcionada por ele não ter o reconhecimento que merece. Todavia é bom saber que mais alguem sentiu e se identificou com essa obra de arte. Nunca vou esquecer daquela poesia no final… Enfim fico no aguardo de suas resenhas maravilhosas ❤

  2. Children of nobody além de ser o melhor dorama de 2019, pra mim é o melhor dorama coreano de todos os tempos. Um drama com uma estória muito forte, que é o abuso infantil retratado de uma maneira realista e melancólica. Otimos atores, ótima trilha sonora, e claro o enredo que é o principal, eu daria 10/10 em todos os quesitos.

  3. Mari, a sua lista de melhores de 2019 ficou muito boa. E você destacou bem os pontos fortes desse ano. Ver Children of Nobody em primeiro lugar foi o melhor!! Drama necessário e, que como você disse, tem um tom de narrativa muito pouco usado para a televisão sul coreana. Obrigado por esse espaço e que você nunca pare de postar.

Write A Comment