Olha só quem apareceu aqui com a primeira resenha de drama terminado em 2020. Prometi que viria mais vezes, não é? Estou conseguindo colocar os posts em dia aos poucos, mas chegaremos lá.

Este é um drama que não teve um grande número de fãs, mas sem dúvidas, foi um drama que conquistou o coração da maioria dos seus espectadores, inclusive o meu. Talvez histórias tristes sobre sofrimento não seja algo que agrade a todos, mas sou apaixonada por slice of life e, sempre que um drama com uma carga de sentimentos tão forte chega, eu provavelmente vou gostar.

Chocolate é um drama que retrata com muita delicadeza a importância do tempo e da vida. Com histórias de pessoas numa clínica de cuidados paliativos além de um romance entre duas pessoas que já passaram por muito, o drama tem um toque poético e enche o coração com tamanha beleza.

“Estou correndo há muito tempo para ir até você. Houve momentos em que eu quis parar. Às vezes, eu simplesmente queria cair e desmoronar. E às vezes eu me perdi. Mas por sua causa, eu pude chegar até aqui. Após um longo período de tempo, é aqui que a nossa história começa. ”

Chocolate
초콜릿
Episódios: 16 | Emissora: JTBC e Netflix | Ano: 2019 – 2020

Sinopse: A história é sobre Lee Kang, um homem que devido aos problemas familiares se torna neurocirurgião apesar de sonhar ser um chef de cozinha. Quando criança, ele conheceu Moon Cha Young, que quando adulta se torna uma renomada chef de cozinha por causa dele. Depois de anos eles se reencontram mas não estavam esperando que ainda passariam por tantas emoções. (Traduzido do My Drama List)

Chocolate não tem um roteiro muito fora do clichê, é mais uma história de romance que apresenta acontecimentos que todos já pudemos ver em algum outro momento, mas ainda assim tem uma delicadeza única para contar não somente a bela história de amor dos protagonistas, como também os casos de pessoas que estão em estado terminal, pacientes de uma casa de cuidados paliativos que nos transmitem mensagens encantadoras sobre a vida, o que o torna um drama muito especial.

Todo o enredo é triste, são poucos os momentos de felicidade dos personagens e mesmo assim, tudo que acontece ainda tem uma certa beleza. A roteirista Lee Kyung Hee é especialista em escrever tramas trágicas e tristes como Uncontrollably Fond (2016), The Innocent Man (2012), Will it Snow for Christmas? (2009) e I’m Sorry, I Love You (2004), o que pode ser ao mesmo tempo um atrativo aos que gostam de romances tristes ou já um alerta para quem foge desse tipo de drama.

Há algumas passagens de tempo na trama, sendo as primeiras cenas mais agitadas, com acontecimentos rápidos. No entanto, a partir da metade de Chocolate, mais precisamente quando chegam “os dias atuais”, é que as coisas começam a andar um pouco mais devagar. Talvez esse fato não agrade a todos os espectadores, principalmente aqueles que não gostam de cenas longas e um certo excesso de drama para contar coisas simples.

Chocolate traz mensagens inspiradoras com sua profundidade, diálogos sinceros e sentimentos pesados de personagens em estado de total sofrimento. No entanto, possui uma leveza única que pode ser encontrada tanto no tom da narrativa, quanto na produção do drama em fotografia, cenários e até mesmo trilha sonora (Youtube ou Spotify).

As cenas são tão significativas e expressam tantos sentimentos. As cores lindas enchiam meus olhos de alegria. Parecia que o diretor planejou todos os detalhes para capturar as emoções das formas mais perfeitas possíveis, ainda mais porque os locais de filmagem eram em Wando, uma ilha encantadora e algumas cenas na Grécia, que eu nem preciso dizer o quanto é linda, não é mesmo?

Para os amantes de comida, pode ser ainda mais prazeroso assistir a Chocolate, já que boa parte do drama é resolvido com comida. Posso parecer exagerada nesse comentário, mas muitos problemas dos personagens nessa história são motivo para cozinhar e comer muito e é um tanto engraçado mas poético ao mesmo tempo, o que achei bem bonitinho. Mesmo.

Sem contar que as cenas da Moon Cha Young cozinhando dão água na boca e os pratos que ela monta me fazia querer comer qualquer coisa que tivesse em casa, enquanto pensava que eram aquelas delícias.

E daí vem o nome do drama. A protagonista é uma chef de cozinha, além disso, tem um caso de amor muito sério por Chocolate, já que foi por causa dele que ela conseguiu sobreviver a um dos momentos mais terríveis de sua vida. Enquanto para o protagonista, comer Chocolate é lembrar da dor que o assombra.

“Sempre que estou angustiada, sinto que não consigo respirar por causa de uma dor no coração ou apenas quero desistir de tudo porque não consigo lidar com a tristeza, como chocolate.”

Lee Kang (Yoon Kye Sang) quando criança, vivia com sua mãe numa ilha sul coreana chamada Wando. Eles tinham um restaurante e seu sonho era ser um chef um dia. Mas Lee Kang, na verdade, era herdeiro de uma família rica que vivia em Seul e eles o obrigaram a se mudar para a casa da grande família. Ele perdeu sua mãe ainda criança e, foi obrigado a fazer tudo o que lhe mandavam, inclusive tornar-se um neurocirurgião para disputar a presidência do hospital que pertence a sua vó. Ele passa por inúmeras tragédias ao longo da vida e não vive mais para si mesmo.

Quando criança, ainda em Wando, conheceu uma garotinha chamada Moon Cha Young (Ha Ji Won) e eles ficaram muito próximos. Mas nunca mais se viram.

Moon Cha Young foi tão impactada pela comida que comeu no restaurante do Lee Kang, que seu sonho passou a ser uma chef de cozinha. Agora que é adulta, ela é feliz cozinhando para as pessoas e é sozinha no mundo cuidando do seu irmão que só dá problemas. Moon Cha Young reencontra Lee Kang numa situação inusitada, mas eles continuam se desencontrando.

Alguns anos mais tarde, após vários desentendimentos e algumas tragédias eles se encontram novamente, agora com ele sendo o médico e ela a chef de cozinha numa clínica de cuidados paliativos. Acontece que suas vidas se tornaram tão complicadas e seu relacionamento mais ainda, pois envolve a morte de um amigo em comum. No entanto, é nesse momento que eles mais vão se aproximar e viver aquilo de melhor que a vida reservou.

Lee Joon (Jang Seung Jo) é o primo do Lee Kang. Desde que eram pequenos foram criados para serem inimigos que mais tarde disputariam a atenção da sua vó para conseguir a posição de presidente do hospital. A princípio, ele pode parecer apenas um antagonista criado para atrasar a vida do mocinho, mas a roteirista o desenvolveu tão bem que ele tem muito mais camadas do que podemos imaginar. Lee Joon retrata o lado ruim de ser um herdeiro que poucos dramas abordam. Ele não era interesseiro e assim como Lee Kang, não vivia por si. A sua luta interna era tão grande que ele entra em colapso diversas vezes na história. Algumas silenciosamente, e em outras demonstra sua dor para todo mundo.

Ainda há outros personagens que merecem atenção como o diretor da clínica de cuidados paliativos, que é um bom homem lutando pelos seus pacientes que trata com tanto carinho. Também a Han Sun Ae  (Kim Ho Jung), cozinheira chefe na clínica. Ela tem Alzheimer e além da importância do assunto ser explorado, mais uma vez, a doença é retratada de modo que nos faz sentir muito pela personagem.

Aproveito para comentar sobre excelente atuação desses três atores citados até o momento. Ha Ji Won é uma atriz renomada e todos já sabemos. Mas nessa personagem achei que ela estava ainda mais vívida, embora seja uma personagem com uma certa tristeza, ainda assim, ao ser a chef Moon Cha Young, ela transmitia serenidade e esperança. Já Yoon Kye Sang, foi a primeira vez que tive a oportunidade de vê-lo atuar e me pergunto até agora por quê? Por que a Coreia não o coloca em mais dramas? Ele é talentoso, charmoso e transmitia a dor do Lee Kang tão perfeitamente que eu sentia vontade de chorar por ele, que pouco chorava, que pouco demonstrava o que sentia, mesmo sentindo muito. Já Jang Seung Jo, ainda não entendo como não recebeu um papel de protagonista. Já comentei isso por aqui, quando o vi atuando em outro drama.

Em questão de romance, acredito que talvez você já saiba que eu gosto de romance mas quando vem acompanhado de boas histórias. Nesse caso, Chocolate tem um casal lindo, que me agrada mesmo. Não só por suas dores e trágica história, mas também porque seu desenvolvimento é natural e sutil. Podemos sentir o que eles estão sentindo com toda aquela profundidade. E isso, pra mim, é perfeito. Todas as passagens de tempo foram necessárias para escrever a história de Lee Kang e Moon Cha Young. Uma cena em especial, logo no episódio 2, fez meu coração em pedacinhos. Aquela cena foi tão cruelmente triste mas ao mesmo tempo tão linda.

É angustiante sentir a dor deles mas ao mesmo tempo é tão lindo! Todos os personagens aqui tem sofrimentos e podemos acompanhar como isso os impossibilita de seguir ao mesmo tempo que os motiva. A mesma coisa acontece com os demais personagens, principalmente aqueles pacientes da clínica que estão com doenças crônicas e em estado terminal. Lee Kang e Moon Cha Young vão trabalhar juntos para tornar os últimos dias dessas pessoas mais suportáveis e, se possível, mais felizes.

Mas a roteirista não tem dó de mostrar a realidade e, de fato, o drama mostra quando o momento final deles chegam, mas sempre com muita sutileza e delicadeza deixando lindas mensagens sobre a importância da vida e das pessoas, não só as que se vão, como as que ficam.

“Como se cada dia fosse o último e como se soubessem que um instante nunca volta, valorizem cada momento. O dia que você desperdiçou hoje, é o amanhã que alguém que morreu ontem tanto desejava.”

Às vezes, nos preocupamos com coisas tão banais e perdemos tanto tempo pensando no futuro, que talvez nunca chegue. É tão importante demonstrar o amor e carinho que sentimos enquanto ainda dá tempo. É preciso fazer aquilo que nos agrada, independente da opinião dos outros. O que você está fazendo para ser feliz hoje?

Enfim. Chocolate é lindo. ♥

Onde assistir?

Tem legendado no Kingdom Fansubs e na Netflix.

Designer, publicitária, viciada em gatinhos, café e doramas. Criadora e autora do LoveCode - que publica conteúdo sobre entretenimento asiático há nove anos.

5 Comments

  1. Chocolate alcançou o posto de um dos melhores dramas que eu já assisti nesses dez anos, pela verdade, naturalidade e conexão nos diversos encontros durante a trama. Ele me fazia refletir muito. Me apaixonei completamente, considero um roteiro quase 100% perfeito.

  2. Eu amei essa serie! Por causa dela comecei a assistir mais coisas e a me interessar mais por aquele país. Foram grandes emoções a cada semana esperando a Netflix disponibilizar os capítulos. Também concordo que há poucos outras series com os atores principais e concordo plenamente com essa resenha!

  3. Adorei esse drama, a história e os protagonistas me confortaram demais. Nossa apaixonei pelo protagonista e que ator mais lindo, a atriz não preciso nem falar fã dele desde “”jardim secreto”. Ambos interpretaram seus papéis com uma delicadeza. AMOOOO DE PAIXÃO ESSE DRAMA UM DOS MEUS FAVORITOS!!!

  4. Aiiin, só de ler já quero ver de novo! Chocolate me marcou muito, foi um drama que até hj me faz chorar qdo lembro. A ost também é maravilhosa e não consigo parar de ouvir até hoje. Concordo com você sobre a atuação Yoon Kye Sang, ele retratou um Lee Kang tão incrível, qro vê-lo atuando mais! E a Ha Ji Won, né, nem preciso dizer, sempre maravilhosa <3

  5. Amei esse drama.
    O final poderia ter sido menos corrido.
    Fiquei apaixonada pelos protagonistas.

    Obrigada pela resenha ! 🙂

Write A Comment