Category

Entretenimento

Category

Bom dia, boa tarde, boa noite, boa madrugada quarenteners! aqui é a Edna, a pedidos de muitos, resenhando Hell is other people. Sim, eu como admiradora de Im Siwan desde Misaeng (Vida Incompleta), me desafiei a ver este terror psicológico (mesmo tendo aversão a terror!) por ser um papel tão diferente dos que ele já havia feito e sendo o primeiro projeto após sua volta do exército.

Além disso, quero explicar um ponto de vista da história, pois andam tendo alguns mal entendidos poraí em razão desta obra de 10 episódios, adaptada do webtoon de mesmo nome, ter sido feita pelo trevoso canal OCN, conhecido por dramas com espíritos malignos e exorcismo. Mas Strangers from hell aka Hell is other people tem mais a ver com a filosofia de Jean-Paul Sartre do que com almas penadas, pois trata sobre até onde a perversidade humana pode alcançar, aplicada a personagens VIVOS e MUITO VIVOS.

Quer entender esta viagem filosófica e porque valeu a pena assistir a tudo? Vem comigo e põe essa OST de qualidade pra tocar

Logo nos primeiros episódios, escrevi no Twitter: “Perspectiva é o modo pelo qual alguma coisa é vista. Em artes, é dimensão e profundidade. Há muito sobre perspectiva em A Piece Of Your Mind, em técnica como na fotografia e também no enredo e desenvolvimento dos personagens. É sobre entender emoções e sentir tanto quanto o outro.” e ao final do drama, tenho ainda mais certeza sobre essa mensagem.

Fazia tempo que eu não ficava tão apaixonada por um drama como fiquei por A Piece Of Your Mind. Se você me acompanha nas redes sociais deve pensar “ela ainda não parou de falar disso”. 🙂 Tudo bem, tudo bem, eu entendo se você estiver pensando assim. Se você não me viu falando nada desse drama ainda, esse post é uma ótima oportunidade para conhecer essa beleza – que eu venho chamando de beleza incompreendida. Vem comigo, que vou explicar.

Olá quarenteners! Aqui é a Edna 🙂 Como estão vocês nestes dias? espero que estejam se cuidando.
Venho resenhar este drama com a ajuda da Beu – colaboradora do blog assim como eu – pra demonstrar o valor ainda pouco panfletado de HYENA, cheio de plot twists interessantes desde o primeiro episódio. Isso mesmo, assim como as hienas na savana/deserto, aqui a briga é de cachorro grande e ninguém economiza reviravolta pra prender quem tem interesse só depois, com o passar dos episódios. Romance? Investigação? Enemies to lovers? sacadas de gênio? temos! 😎💕

Quer conhecer HYENA? vem com a gente neste post e ponha a OST pra tocar !!!

Desde os teasers, Tell Me What You Saw prometeu ser um drama policial mais intenso que os outros, apresentando um suspense aparentemente promissor com a história de uma policial e sua memória fotográfica. De fato, o drama é um tanto diferente dos demais dramas sul coreanos do mesmo gênero, mas não devido a uma história que foge do convencional. Aqui, o principal antagonista é mais macabro e os crimes são brutais e muito cruéis. Todo o tom do suspense é pesado, repleto de personagens frios que tornam a experiência, às vezes, um tanto perturbadora.

Mesmo se comparado a outros dramas da própria OCN, que já possuem essa característica, acredito que se aproxima bastante de Voice, drama que também foi ao ar pela emissora em 2017 e a segunda temporada em 2018.

A quarentena por conta do coronavírus começou e muitas pessoas pediram indicações de bons dramas para maratonar nesse período. A maioria dos pedidos ressaltavam que seria melhor se fossem dramas que estão disponíveis na Netflix, já que nem todo mundo tem acesso aos streamings específicos – já aproveito para dizer que vale a pena o investimento e além disso, temos muitos fansubs bons disponíveis por aí. Aqui no blog, temos links deles em todos os posts.

A princípio, fiz uma lista de 6 dramas e publiquei no Instagram e Facebook, mas como os bons dramas nunca faltam, a lista ainda era pequena perto das várias indicações que poderia dar. Então, juntamente com a equipe do blog (Edna e Beu), reunimos mais alguns.

Neste post, trago as duas listas juntas. Espero que gostem das indicações. Bora!

Olha só quem apareceu aqui com a primeira resenha de drama terminado em 2020. Prometi que viria mais vezes, não é? Estou conseguindo colocar os posts em dia aos poucos, mas chegaremos lá.

Este é um drama que não teve um grande número de fãs, mas sem dúvidas, foi um drama que conquistou o coração da maioria dos seus espectadores, inclusive o meu. Talvez histórias tristes sobre sofrimento não seja algo que agrade a todos, mas sou apaixonada por slice of life e, sempre que um drama com uma carga de sentimentos tão forte chega, eu provavelmente vou gostar.

Chocolate é um drama que retrata com muita delicadeza a importância do tempo e da vida. Com histórias de pessoas numa clínica de cuidados paliativos além de um romance entre duas pessoas que já passaram por muito, o drama tem um toque poético e enche o coração com tamanha beleza.

“Estou correndo há muito tempo para ir até você. Houve momentos em que eu quis parar. Às vezes, eu simplesmente queria cair e desmoronar. E às vezes eu me perdi. Mas por sua causa, eu pude chegar até aqui. Após um longo período de tempo, é aqui que a nossa história começa. ”

Eu pensei diversas vezes se ainda publicaria este post já que estou tão atrasada. Geralmente meu especial de TOP 10 dramas do ano sai no máximo até a segunda semana de janeiro. No entanto, como podem ver, já é final de fevereiro, quase março e aqui estou, na maior cara de pau. Pensei e pensei de novo, porém cheguei a conclusão de que minha consciência não me deixaria seguir em frente com os posts de 2020 se eu não escrevesse este, que para mim, é como o fechamento de uma etapa. Então, tudo bem me chamarem de atrasada. Espero que ainda assim, possa ajudar quem procura os melhores dramas de 2019 para assistir. Ou até mesmo, que este post traga boas lembranças aos dorameiros atualizados.

Numa breve retrospectiva, acredito que 2019 tenha sido um ano em que as emissoras resolveram abordar temas mais obscuros e realistas em suas produções, mesmo que em proporções mais leves quando aliadas a humor e romance. Bons exemplos de temáticas pesadas são: SKY Castle, uma crítica às famílias ricas e seus métodos absurdos de competição entre si usando seus filhos, Children Of Nobody, um drama de suspense psicológico que aborda abuso infantil das formas mais tristes e cruéis. Ao longo do ano tivemos também Beautiful World, que no começo parecia pegar o gancho de bullying escolar de SKY Castle, porém passa a ser um drama com ótima mensagem sobre respeito, a importância da família e, mais uma vez, a corrupção do ser humano. My Strange Hero também seguiu a mesma linha dos problemas escolares e nos mostrou como pode ser trágico destino de pessoas que se sentem perdidas e transtornadas e, como isso pode afetar sua própria vida e de todos ao seu redor. Class of Lies foi mais um drama focado em estudantes e seus problemas familiares, estudantis, assédio e bullying em níveis absurdos.

O drama que dividiu opiniões. A ansiedade por Vagabond começou logo no anúncio do elenco: Lee Seung Gi e Bae Suzy seriam os protagonistas do novo drama da SBS. Pra quem não sabe, ambos foram protagonistas em Gu Family Book, drama que foi ao ar pela MBC em 2013. Quem assistiu, sabe que o casal causou grande impacto nos espectadores que anseiam por uma continuação desde aquele final desolador.

Depois que a SBS anunciou o elenco, começou as gravações do drama e logo, anunciou que ele seria totalmente pré produzido, com isso, a demora para o lançamento foi ainda maior e a ansiedade dos dorameiros elevada a níveis absurdos.

Enfim, depois de muito tempo de espera, Vagabond foi lançado pela SBS e, para alegria de muitos, também na Netflix. Mas o que alguns não esperavam era que o drama não fosse agradar tanto como nas expectativas criadas.

Por isso, antes de continuar a falar qualquer coisa sobre o drama, quero expor minha opinião sobre algumas das críticas que tenho visto em relação ao drama.

Catch The Ghost foi um drama subestimado demais pelos dorameiros brasileiros. Em época de exibição, pouquíssimas pessoas comentavam sobre ele, e após terminar, nas premiações e tags de fim de ano, ele foi completamente esquecido. E é uma pena, mesmo.

É compreensível que muitos preferiram esperar pra ver onde ia dar, de fato. Já há algum tempo que a tvN tem falhado em lançar bons dramas de investigação. E os créditos dos melhores tem ido todos para a OCN. Mas aqui, quero deixar claro que Catch The Ghost não é somente um drama investigativo de suspense, é uma comédia, quase romântica, com toques de suspense, e diferentemente das tentativas recentes, essa funciona, e muito bem.

Outro bom motivo para assistir ao drama, é a volta da Moon Geun Young para as telinhas depois de 4 anos. Talvez dorameiros novos não a conheçam, no entanto, ela é uma atriz excelente e seu último drama The Village: Achiara’s Secret, foi um suspense e mistério dos bons exibido pela SBS em 2015.

“Eu acho que Hwi e Sun Ho eram o sol e a lua em suas vidas passadas. É por isso que eles são tão inseparáveis nessa vida.”

Há algum tempo atrás, já comentei sobre o drama do qual venho falar hoje e provavelmente vocês já me viram elogiar muito esse sageuk. No post anterior, fiz uma análise sobre o personagem Lee Bang Won (em algumas leituras escreve-se também Yi Bang Won), que está presente tanto em My Country como em Six Flying Dragons e outros dramas coreanos. Ele não é o personagem principal de My Country, mas é sem dúvidas, alguém que se sobressai.

Neste post, venho falar exclusivamente de My Country, o drama do ano passou que roubou atenção logo no anúncio do elenco e após seu lançamento conquistou um grande número de fãs.

My Country: The New Age é um drama de época que mistura fatos reais de um contexto histórico turbulento e importante para a Coreia e personagens fictícios envolvidos nesse momento. Inovando na temática, a história vai muito além de uma briga pelo trono.