Olá dorameiros de plantão, faz muito tempo que não escrevo aqui, eu sei. Mas passado a loucura que foi esse 2018 e devido ao apelo sobre Love Destiny ou originalmente Bpoop Phaeh Saniwaat, meu primeiro lakorn (drama tailandês) histórico é necessário panfletar e quem sabe amolecer o coração de algum fansub para legendar esse projeto pois só assim ele poderia ganhar o alcance que merece no dramaland brasileiro (e não é que a gente conseguiu? 🙇🙆💞 ) !!!

Sem mais delongas, lhes apresento essa aventura que é Bpoop Phaeh Saniwaat, que não é Moon Lovers mas tem viagem no tempo da lead pra 300 anos atrás (só que na história da Tailândia), não é Rebel Thief Who Stole The People mas trata muito de espíritos e tretas históricas e não é Tenno No Ryoriban mas tem personagens que realmente existiram.

Coloca a OST para tocar e vem entender porque esse lakorn merece mais atenção 💞

Bpoop Phaeh Saniwaat (Love Destiny) | บุพเพสันนิวาส

Episódios: 15 | Emissora: Ch3Thailand | Trasmissão: 21/Fevereiro – 11/Abril/2018

Sinopse: Kadesurang (Bella Ranee Campen) é uma arqueóloga gordinha de 25 anos de idade. Um dia, ela sofre um acidente após visitar um templo antigo e se assustar com o fantasma de Karakade, que a faz voltar no tempo cerca de 300 anos atrás, para a era de Ayutthaya. Mae Ying Karakade era uma pessoa muito egoísta e invejosa, não media esforços pra conseguir o que queria, sem nenhum pingo de consideração pelo próximo. Todos que a conheciam a odiavam, especialmente seu prometido Por Date (Pope Thanawat). Contudo seu pai, que era o melhor amigo dos pais de Karakade, prometeu que seus filhos se casariam um com o outro. Na tentativa de matar uma rival, Karakade tem seu plano medonho descoberto e ao invocarem um feitiço para punir o culpado, terminam por resultar na passagem de seu espírito que agora só poderá ser salvo por alguém de boa alma. E esse alguém é a Kadesurang.

A troca

Quem é dorameiro tá cansado de saber que o plot de viagem no tempo é clichê, até aí tudo bem. Mas vocês já imaginaram o quanto piraria uma arqueóloga que amava o que fazia de repente voltar 300 anos atrás, justamente para a época que ela estava estudando? A Bella Campen conseguiu interpretar o papel de três pessoas em uma só (e eu não estou falando de transtorno de personalidade apesar de considerarem essa hipótese 😂😂😂). Acontece que a Kadesurang era a nerd mais extrovertida do mundo, todos a achavam fofa e alegre (nenhuma gordofobia aqui!) além de admirarem sua inteligência e paixão pela história, pois era a estudante modelo e curiosa por natureza. Sempre foi apegada a avó e a tia cuja criação respeitava suas escolhas e liberdade. Mas seu acidente repentino pegou todos de surpresa, junto com seu amigo Ruengrit (Punjan Kawin), o qual eu crushei no espaço de 0000,1 segundos pois o moço não economizava olhares de admiração a Kadesurang. ☹️

Já a Karakade, uma cobra criada e alimentada no veneno de sua cobiça e inveja, só percebeu que não teria salvação quando estava ameaçada em perder sua alma. Ela precisava de alguém para conseguir limpar sua imagem em vida e ter paz para reencarnar, como acreditam os budistas. Seu encontro com a Kadesurang foi um tanto bizarro e confuso mas, enfim, ela era a candidata perfeita a fazer boas ações em nome de Karakade e rezar por ela.

 

“Mas será possível! de todas as pessoas que eu tinha que reencarnar tinha que ser em uma vilã?”
Como é que se faz cara de vilã ??? 👺 👺 👺 👺 
😂😂😂

As descobertas

Assim que Kadesurang acorda no corpo de Karakade todos ao seu redor ficam confusos pela mudança de personalidade instantânea. Kadesurang era otimista, divertida e sobretudo encantada com o tanto de descobertas que uma arqueóloga poderia encontrar naquele contexto histórico, tendo oportunidade de falar com personalidades chave as quais ela só conhecia por relatos em livros e gravuras antigas. Tudo era fascinante para ela, mas não foi fácil para ninguém acreditar que a cobra criada da Karakade de repente tivesse acordado um ser tão radiante e sem papas na língua, inclusive deixando escapar umas gírias atuais tailandesas e até algumas palavras em inglês que fazem parte do vocabulário jovem 😂😂😂. Esse vendaval de entusiasmo lentamente conquistou todos, incluindo Date que acaba se apaixonando por essa “nova Karakade”. Contudo, não é só ele que se apaixona e é aí que entram os bromances e amizades (mas por incrível que pareça nenhuma intenção de triângulo amoroso, muito pelo contrário). 😍💞

A curiosidade é o que movia Kade o tempo quase todo, sempre perguntando e confirmando sobre o que já havia estudado, especialmente para suas criadas mais próximas P’Pin e P’Yan, primeiras em ter contato com essa nova Karakade que ninguém entendia. Deve ter algo a ver com a questão de criadas nascerem para servir suas amas mas, apesar de sofrerem tanto na mão de sua ama tão ruim, elas logo acolheram a mudança repentina, aconselhavam e tiravam todas as dúvidas de Kadesurang, desenvolvendo uma relação de amizade e cenas icônicas como quando a Kade esteve menstruada 😂😂😂. Elas foram de um cuidado e uma ajuda imensa, pois eu mesma sempre imaginei o quanto as mulheres tinham de se virar sem objetos descartáveis em contextos históricos antigos. Kadesurang fez de um tudo em casa, cozinhou um novo molho, fez um filtro de barro, escreveu poesia e relatos, costurou calcinhas pra ela e pras suas criadas… 😂😂😂 E enquanto descobria coisas novas, foi conhecendo pessoas importantes, conquistando espaço e uma nova imagem para Karakade, cheia de inteligência e empatia.

A pessoa apaixonada se torna transparente 😂

As conquistas

A casa onde Karakade morava era da nobreza, lotada de criados, de um a dois para cada membro da família e o restante a cuidar do ambiente geral. Então, pelos problemas anteriores que a personalidade de cobra venenosa havia causado, todos eles viviam desconfiados especialmente a dona da casa, Khun Ying Jumpa (Jaturaput Chamaiporn), que junto com sua criada fiel Nan Prik eram quem mais desafiava a nova Karakade a fazer as tarefas que tanto ela se recusava antes e era motivo de brigas sem fim. 😱😱😱 A única pessoa que já tinha apreço pela antiga Karakade era seu tio Phra Horatibodee (Sirichanya Nirut) pois sentia o dever de cuida-la em razão da promessa feita aos pais dela. Embora Kara não tivesse respeito por ninguém e se focasse apenas na sua obsessão em cobiçar o Date como um objeto, além de maltratar suas criadas com seus planos e vontades, o seu tio nunca desistiu da possibilidade dela se tornar uma pessoa melhor um dia (e penso por causa do amor desse senhor os espíritos concederam a chance de uma limpeza de alma).

Graças a mente de arqueóloga que viajou intacta com ela, Kadesurang teve facilidade de intervir e resolver problemas, cativando pessoa por pessoa, especialmente Muen Rueng (Punjan Kawin) cujo rosto fazia Kadesurang lembrar de seu amigo e braço direito da universidade. Ela chegou a confundi-lo mas logo percebeu que não eram a mesma pessoa… porém o que isso rendeu de cenas engraçadas valeu o drama inteiro! A cada reunião, visita ao mercado, ao templo e etc, se formava um novo vínculo a essa personalidade que poucos conheciam.

 

Falando finalmente do Por Date, de início ele não queria ver a Karakade nem pintada de ouro, gostava de outra (a Mae Ying Junward interpretada por Kannarun Prang) e demorou bem umas semanas se perguntando se não havia fingimento nesse ser escandaloso e atrevido a como parte de um novo plano para dar o bote nele (tanto que me quase me fez perder a paciência com o moço apelidando carinhosamente de “Date Ruim”  😂😂😂).

Os passos de aproximação entre os leads principais foram de susto em susto. Um susto com aquele ser serelepe quando se percebeu num ambiente potencial de descobertas. Um susto com a audácia divertida de quem tinha jogo de cintura em lidar com os problemas e não parecer mais tão mimada e obsessiva. Um susto porque a moça que era dona de si às vezes parecia perdida e vulnerável… Um susto quando percebeu o sentimento que havia crescido dentro dele, o qual podia ultrapassar as barreiras do tempo. O plot de romance de Love Destiny realmente toca ao falar de um amor destinado de muitas vidas e é lindo acompanhar sua construção mesmo em um ambiente cheio de regras, costumes e tradições. Kadesurang deu uma vida nova não só a Karakade mas também ao próprio Por Date, influenciando positivamente muitas pessoas! 😍💞

 

O que me prendeu em Bpoop Phaeh Saniwaat?

Como dorameira tendo visto mais de 110 dramas – a maioria ainda sul-coreana – eu tenho bastante apreço por produções de genêros ao quais ainda não tinha contato, se aplicando a esse histórico tailandês. Um lakorn trazendo nomes que existiram foi muito interessante de se acompanhar, além de achar incrível porque ninguém ainda tinha tido um insight tipo “Uma noite no museu” de por uma arqueóloga meio doida a viajar no tempo. O plot foi o primeiro passo para colocar o lakorn na lista mas a insistência de um grupinho meu no twitter (ALÔ ÍTALO) me pediu URGÊNCIA em ver essa produção, pois eu tinha de opinar sobre seu valor para uma panfletagem com propriedade e foi realmente o que aconteceu.

Bpoop Phaeh Saniwaat, apesar do poster original dourado e bem brega pro meu gosto, foi incrível de acompanhar, em meio a química entre o elenco, tornando tudo encantador, engraçado, com desenvolvimento de secundários bastante satisfatório e de sofrência leve porém muito bonita para um histórico sobretudo ao falar de algo tão batido como “alma gêmeas”. Assim, Love Destiny se confirmou meu drama preferido de 2018! 🙆💞

Minha única crítica foi ao núcleo do casal secundário de imigrantes (o casal do meio na imagem acima) pois confesso que tive de pular algumas cenas deles. Do núcleo dos nobres tailandeses não houve um abuso de gênero sequer, isto é, as mulheres tinham tanto direito de opinar quanto os homens e sem violência, mesmo que ainda voltado a relação histórica trabalho X casa (no caso servir ao rei X servir aos afazeres domésticos e religiosos). Mas entre os personagens Maria Guyomar (Susie Susira) e Constantine Phaulkon (Louis Scott) a relação abusiva ficou bem evidente desde o princípio, resumindo um casamento forçado para conseguir status diante do rei da Tailândia, pois o Constantine foi um político francês que realmente existiu. Entretanto, mesmo tendo que pular cenas, o fio da meada da estória não se perde porque os acontecimentos importantes eram sempre revistos nos diálogos e relatos da Kadesurang, bem como partes em que a Maria podia encontrá-la, sendo suficientes para compreender o desfecho de um lindo e justo final.

 

Onde assistir?

Isto posto, deixo meu apelo aos fansubs do dramaland brasileiro, para que mais pessoas possam assistir Bpoop Phaeh Saniwaat sem ter de pular de um site para outro como eu fiz… assisti uma parte com subs em inglês mas a maioria em espanhol, agora disponível completo no site MLAT (Marii Lakorn And Team).

ATUALIZAÇÃO DE 2019: O fansub LuannaSou Translate em parceria com a Urameshi aceitou esse projeto e já tem 04 episódios postados, então pode começar a ver e incentivar o fansub comentando com agradecimentos para que eles sigam até completar os 15 eps *—–*

PS: VAI TER SEQUÊNCIA PREVISTA PARA 2020 CHAMADA PROM LIKIT COM OS MESMOS LEADS!!! Você quer essa sequência Moon Lovers? (/¯◡ ‿ ◡)/¯ ~ ┻━┻

*joguei a bomba e corri*

O verdadeiro amor além de ultrapassar as barreiras do tempo, salva vidas.

 

Edna, de 1993, mistura indie com pop, mas é sobretudo uma designer dramática. Movida por uma curiosidade extrema, após ver um clipe de música colorido numa tv de loja em dezembro de 2010 caiu nesse mundo de Alice do leste asiático e é incentivada por pessoas que amam seus surtos a comentar sobre isso até hoje.

1 Comment

  1. Adorei sua resenha me fez ter vjntade de assistir este lakorn, estava receosa pra assitisti-lo embora adore a bella ranee.

Write A Comment