Desde o início de 2018 a JTBC, emissora a cabo sul coreana, vem abordando em seus dramas, diversos tópicos marcantes e pouco explorados. Comentei sobre alguns dramas da JTBC no post de retrospectiva de 2018. Para fechar o ano com chave de ouro e ainda iniciar bem 2019, a emissora resolveu tratar sobre um tema que alguns dramas até chegaram a tocar no assunto, mas jamais com essa profundidade escancarada sobre a ganância das famílias ricas em tornar seus filhos os melhores numa sociedade que aparentemente já tem tudo.

SKY Castle foi líder de audiência e bateu o recorde de dramas em emissoras pagas, ultrapassando Goblin e Reply 1988. Foi sucesso absoluto na Coreia sendo comentado por diversos artistas e programas de televisão. Aqui no Brasil, o sucesso entre os dorameiros foi o mesmo assim que mais e mais pessoas começaram a assistir ao drama. SKY Castle merece todo essa conquista sim.

Não acompanhei SKY Castle com a Coreia, e nem sei por que, sendo que costumo acompanhar a maioria dos dramas que estão sendo exibidos semanalmente. Mas depois de muita gente ter comentado sobre o quanto o drama estava bom eu resolvi fazer uma maratona quando estava no episódio 18. Assisti ao primeiro e segundo episódio, dei uma pausa de uma semana porque a vida ficou corrida, na semana seguinte comecei a ver o terceiro, quarto, quinto, quando vi já estava no 19! Eu passei um fim de semana inteiro vendo SKY Castle e não me arrependo de nada. Pelo contrário, maratonar esse drama foi incrível, e acho que a experiência para mim, foi ainda melhor do que se tivesse acompanhado semanalmente.

Sky Castle
SKY 캐슬
Episódios: 20 | Emissora: JTBC | Ano: 2018-2019

Sinopse: SKY Castle é o nome do luxuoso condomínio privado onde médicos e professores ricos vivem. O drama descreve todos os meandros de como as nobres famílias fazem seus filhos entrarem na universidade. Trata-se de um drama satírico e por vezes cômico, que em linhas gerais, olha para os bastidores dos desejos materialistas e gananciosos dos pais de classe alta da Coreia do Sul, que impulsionam vigorosamente seus planos de tornar sua família uma sucessão de médicos, advogados e professores.

SKY Castle trata sobre um assunto sensível. Pode parecer um pouco de exagero ao falar que famílias ricas competem entre si para ver quem tem “o melhor filho”, ou melhor dizendo, “o melhor sucessor”. Mas infelizmente é uma realidade, principalmente em países asiáticos.

O “SKY” presente no nome do drama refere-se sim ao nome do condomínio onde os personagens vivem, mas também é uma sigla conhecida pelos coreanos que representa o nome das três melhores e mais prestigiadas universidades sul coreanas: a Seoul National University, a Korea University e a Yonsei University, também estando entre as melhores no mundo. São as universidades que mais formam médicos, professores, advogados, engenheiros e políticos influentes na Coreia.

E seguindo essa fama das melhores universidades, a história de SKY Castle gira em torno das famílias ricas que estão dispostas a tudo a fim de que seus filhos sejam os melhores na escola e entrem numa das dessas universidades prestigiadas.

É tão absurdo que a raiva é incontrolável em algumas cenas. A que ponto podem chegar esses pais? E a que custo? Dinheiro para eles não é problema, mas vale a pena trocar a felicidade apenas para se gabar do “quão bom” é o seu filho? Infelizmente, alguns pais acabam projetando nos filhos os seus próprios sonhos e ambições, sem se perguntar o que eles realmente querem. Ou até mesmo sem se importar com o seu bem estar físico e principalmente mental. Eles querem que os “herdeiros” sejam como eles e que a família se mantenha no topo por gerações.

As famílias “perfeitas” na verdade escondem segredos sujos. E toda essa ambição por poder, dinheiro e sucesso os levam a casos de tortura e abuso, mas que em seus olhos é “querer o melhor” para o seu filho. É tão triste, mas tão real. As crianças e os jovens sofrem de diversas formas e as famílias que parecem fortes, podem se desfazer a qualquer momento. Os resultados dessa “pressão” são cruéis e trágicos, podem gerar  ódio, traumas e até suicídio, como todos sabemos de casos REAIS.

E pra piorar, a gente vê que o buraco é mais embaixo quando a trama ainda nos joga em uma tragédia logo no primeiro episódio, e com isso, o suspense vai aumentando com o passar do tempo.

O que torna tudo ainda mais interessante de acompanhar é que o drama também aborda a situação de diferentes tipos de pais, mães e filhos diante dessa situação. E que mães e filhos!Elas são como guerreiras numa batalha. Elas são estrategistas e elas podem virar o mundo do avesso para conseguir o que querem. Ah, e elas conseguem viu. Às vezes para o bem, às vezes para o mal, às vezes conscientes do erro, às vezes não. Adorei a forma como roteiro une as histórias das famílias através dessas personagens. E eles são  vizinhos, amigos e rivais, tudo ao mesmo tempo.

Pode parecer que em algum momento essa temática tende a ficar cansativa. Mas só parece mesmo. Surpreendentemente o roteiro é bem estruturado e nos envolve num fluxo consistente de suspense, drama e cliffhangers que nos prendem a cada episódio e é praticamente impossível dar pausas, principalmente durante uma maratona. Também se faz presente na trama algumas cenas de comédia, não são muitas, mas quando aparecem são ótimas. E eu, particularmente, sou apaixonada por tramas que me fazem ficar com raiva, chorar e rir em questão de minutos.

Os personagens são construídos e desenvolvidos de uma forma esplêndida. Todos eles tem defeitos e falhas, mas em algum momento podemos nos simpatizar por eles, não necessariamente aprovando suas ações. Até mesmo os personagens secundários trazem sua importância à trama e também nos comovem. É impossível não sentir angústia ao se colocar no lugar deles. De qualquer um. Além disso, há tantos personagens na trama, e nenhum deles foi esquecido.

Claramente a maioria dos personagens não são pessoas totalmente ruins, mas foram cegados pela ganância. Enquanto em sua perspectiva estão sendo pessoas que zelam pelo bem da família e dos filhos, na verdade sua visão está distorcida e a realidade, infelizmente, é que eles caminham para a autodestruição.

Todos os atores desempenharam seu papel brilhantemente. Desde os atores veteranos até o elenco juvenil, todos foram convincentes, na verdade, eu diria excepcionais. E como não amar as personagens femininas de SKY Castle? Que em minha opinião, são a alma da narrativa, e são incríveis. Assim como já comentei, nenhum personagem é totalmente bom ou totalmente mau, as personagens desse drama enfrentam situações desesperadoras, mas apresentam uma evolução surpreendente.

A família Kang, melhor dizendo, a família da Han Seo Jin:

Han Seo Jin (Yum Jung Ah) uma mulher forte e determinada que não mede esforços para fazer de sua filha Kang Ye Su (Kim Hye Yoon) a próxima médica da família, seguindo o exemplo da família do seu marido Kang Joon Sang (Jung Joon Ho), que é um cirurgião ortopédico. Eles tem uma filha mais nova a Kang Ye Bin (Lee Ji Won). Eles aparentam ser uma família perfeita, com filhas perfeitas. Mas será mesmo?

A família Hwang, ou melhor dizendo, a família da Lee Soo Im:

Eles são os mais novos moradores do SKY Castle, Lee Soo Im (Lee Tae Ran) é uma escritora de livros infantis que atualmente se dedica a jardinagem, ela é carismática e simpatiza facilmente com as pessoas, casada com o neurocirurgião Hwang Chi Young (Choi Won Young), eles tem um filho, o Hwang Woo Joo (Kang Chan Hee).

A família Cha, ou melhor, a família da No Seung Hye:

No Seung Hye (Yoon Se Ah) é uma mulher inteligente e de um coração enorme mas que passa poucas e boas com seu marido Cha Min Hyuk (Kim Byung Chul), um professor universitário que quer a perfeição dos filhos sem medir consequências. Eles tem três filhos, os gêmeos Cha Seo Joon (Kim Dong Hee) e Cha Ki Joon (Joe Byeong Gyu) e a filha mais velha Cha Se Ri (Park Yoo Na).

A família Woo, ou melhor, a família da Jin Jin Hee:

Jin Jin Hee (Oh Na Ra) também é casada com um cirurgião ortopédico, o Woo Yang Woo (Jo Jae Yun) eles tem um filho, o Woo Soo Han (Lee Yoo Jin) que é da mesma idade da filha mais nova da Han Seo Jin.

E alguns personagens que não pertecem à essas famílias mas ainda são importantes na narrativa.

Kim Joo Young (Kim Seo Hyung) é uma tutora famosa por conseguir levar seus alunos ao sucesso absoluto com notas perfeitas e entrada garantida numa das universidades SKY. Ela era a tutora de uma das famílias que acabou de sair do SKY Castle e Han Seo Jin quer a todo custo contratá-la para ensinar a Ye Su. Kim Joo Young é um pouco misteriosa e parece esconder alguns segredos.

Kim Hye Na (Kim Bo Ra) uma estudante da sala sa Ye Su e Park Young Jae (Song Geon Hee) um ex morador do SKY Castle.

São muitos personagens, certo? Muitas famílias… E bom, são muitas desavenças também. Cada família tem seus pontos positivos e negativos, mas em todas elas, alguém me conquistou, nem que por um breve momento, tanto adultos como as crianças. Eu adorava quando as mães se reuniam em sua mais alta elegância tomando cházinho, vestindo roupas caríssimas e brilhantes enquanto se alfinetavam, e com requinte e sorrisos sarcásticos discutiam qual dos seus filhos foi melhor nas provas. Os diálogos eram fantásticos! Mas adorava mais ainda quando todas as famílias se reuniam e o nível de requinte e sarcasmo eram ainda mais intensos. O que poderia resultar em duas coisas: ou eu passava muita raiva, ou ria muito.

A intensidade dos conflitos aumenta e torna a atmosfera ainda mais tensa graças a trilha sonora impecável de SKY Castle. Começando pela faixa “We All Lie” da Ha Jin, que toca todo episódio e poderia tocar ainda mais, pois impossível não gostar dessa música. Quando a melodia dela começava, fosse na versão original, na versão lenta,  orquestral ou instrumental (sim, tão boa que tem várias versões), era sinônimo de: corre, que vai pegar fogo. Outra faixa excelente da trilha sonora é It Has To Be You. Tem o album completo no Spotify ou nessa playlist no Youtube.

 

Se eu passei esse drama todo com raiva, chorando e sorrindo, foi pra tudo isso vir em dobro no final com fortes emoções. SKY Castle perfeitinho do começo até os últimos segundos. ❤

Onde Assistir?

Tem Sky Castle legendado no Start Fansub.

 

 

E aí, vocês também gostaram de SKY Castle?

Ah, terminaram vários dramas recentemente, estou tentando organizar a vida pra postar todas as resenhas, haha. A próxima é de My Strange Hero. 😉

Até logo! Beijos, Mari!

Designer e publicitária viciada em café e gatinhos que um dia se apaixonou por cultura coreana e virou dorameira, louca dos sageuks e fã de k-bands. Criei o LoveCode, onde escrevo sobre cultura pop asiática há mais de oito anos.

6 Comments

  1. Adorei a resenha Mari! Meu drama do ano já, entrou para os favoritos – talvez da vida – e sinto tanta falta </3

  2. <>

    Desde que assisti um vídeo de uma mãe brasileira contando umas verdades sobre o sistema de ensino coreano, o qual a filha está inserida pois sua família mora lá, eu tenho ficado interessada nesse tema. Já houveram muitos dramas com chaebols e escolas chiques mas nada que me passasse essa vibe de SKY Castle por isso a cada resenha que leio fico mais curiosa. O sucesso desse drama não deve ter sido a toa mesmo! Quando se une uma atuação afinada a um bom roteiro, não tem como ser diferente… esperarei os awards assim que termina-lo de ver.

  3. Passei apenas para ler essa resenha e saber mais um pouco sobre essa narrativa. Já adianto que estou totalmente convencida e até ansiosa para conseguir arrumar um tempinho para poder começar a assistir, que Deus me ajude hahahaha! Com base na sua resenha acredito que este drama tem tudo para ser um dos melhores do ano e estou ansiosa para ver as tretas (amo e já quero). Quando você falou dos diálogos bem construídos, das doses de sarcasmo e das personagens femininas bem construídas eu automaticamente me encantei. Prometo voltar e construir um comentário melhor quando eu terminar o drama amiga. Amei a resenha. Ela ficou linda e muito convincente. A senhora, como sempre, sambando muito. Amooo! Super beijo. ~Polly

  4. Amei Sky Castle, mas não gostei muito do final. Se tivesse acabado no episódio 19, teria sido perfeito para mim. Nunca pensei que reclamaria de um final estilo novela da Globo em doramas, mas não achei condizente com toda a narrativa até aquele momento. De qualquer forma, foi um dorama que valeu muito a pena ter assistido.

  5. Hello,

    Concordo com tudo! Não fiz maratona, fui acompanhando semana a semana, e fui-me envolvendo cada vez mais ela trama. De certa forma, fez-me lembrar o drama Woman of dignity, também da JTBC. Ambos são protagonizados por mulheres, familias ricas e também tem ua tragédia logo no primeiro episodio.

    Os atores estão de parabéns, gostei de todas as familias e ao contrário de muitos outros dramas, não senti necessidade de saltar partes.

    Até à próxima review 😛

  6. Sky Castle, realmente merece todas as atenções, um Drama Incrível, que te faz sentir várias emoções num mesmo episódio, mostra realidades e os dois lados da moeda que uma pessoa pode ter, amei e já está na lista de melhores Dramas é Osts que vi e ouvi é Para fechar com chave o que dizer das Osts, We all Lie, About- It Has To Be You e as demais, realmente Demais!! Assistam, muito bom o blog.

Write A Comment