Author

Mari

Browsing

“O que? Mais um drama de padre nesses dias? É… sei não.” – essa era eu, quando vi os primeiros posters de The Fiery Priest.
“Adorei! Tô rindo muito, nada a ver com o que eu imaginava” – essa era eu após os primeiros episódios!
MELHOR drama da temporada! Padre Kim te amo!” – eu na metade do drama.
QUE DRAMA SENSACIONAL, quero segunda temporada pra ontem e me dá aqui todos os dramas que Kim Nam Gil já fez!” – eu após ver os últimos episódios.

Tá bom, né? Preciso continuar escrevendo o post? Haha. Preciso sim, porque quero falar de tanta coisa boa que esse drama tem.

The Fiery Priest é um drama de comédia e ação com uma história que apesar de ser simples, tem personagens fortes com um excelente desenvolvimento e um elenco que fez toda a diferença. A produção também é impecável, tornando um dos melhores dramas do gênero.

Eu sei, eu sei que estou atrasada quase um ano. Talvez você já conheça o programa que vou falar aqui hoje e está pensando “ué, mas esse post não deveria ter saído em 2017 ou 2018?”. É, pois é. Mas eu perdi a chance de ver o programa logo na época de exibição e cá estou eu apaixonada e grata pela indicação (várias e várias vezes, haha) da Irla, que foi quem me incentivou a ver esse reality em pleno 2019, mas que foi tão especial para mim. 💛

Não vou negar que se eu tivesse olhado Hyori’s Bed & Breakfast assim no catálogo da Netflix ou só visto o poster, nem teria dado uma chance. Mas de depois de tantas indicações dela e ela mencionando que eu iria me apaixonar pela amizade que é criada ao longo do programa não pude resistir. Parece bem simples, e de fato é. Não é um programa de humor, nem com provas e desafios, mas se torna muito gostosinho e acolhedor e vou explicar tudinho nesse post.

Esse foi um dos dramas mais esperados de 2019. Pra ser mais exata, era um drama esperado desde o fim de Goblin e que nem sabíamos se um dia ia existir de fato. Mas a dona tvN lindíssima é a emissora rainha do fanservice e deu um presentão para nós dorameiros.

Touch Your Heart, ou “spin off de Goblin” como eu gosto de chamar, porque é quase isso mas tvN não assumiu, veio pra trazer alegria aos coraçõezinhos que ficaram devastados com o casal secundário de Goblin, a Sunny e o Ceifador. Aquele casal que eu falei muito aqui no blog, falei no twitter, falei com as amigas pessoalmente, e que eu amava demais. ❤

Mas uma coisa é fato, a tvN pegou um roteiro bem clichêzinho e jogou nosso casal lá. Claramente se fossem outros atores, o drama não teria nem sido comentado como foi. Mas outro fato é que nós pedimos isso, pedimos um doraminha bem docinho com eles porque já sofreram demais anteriormente, e a tvN atendeu. E claro que mesmo sendo bem clichê e sem nada de extraordinário, vim aqui falar desse drama por motivos de: Ceifador e Sunny em suas novas vidas. Brincadeira, não só por isso.

Atenção: Esse drama pode causar excesso de aperto no coração, mas também vem acompanhado de boas risadas e depois de muito choro um sentimento inexplicavelmente bom. Não recomendado para dorameiros de coração fraco.

E eu poderia terminar esse post aqui com esse aviso, mas não, porque preciso dizer ainda o quanto esse drama é belo.

The Light In Your Eyes, ou Dazzling como também é chamado, é um drama mais curto que os “normais”, com apenas 12 episódios. Mas sua história é densa e impactante. O roteiro é uma obra prima, aborda assuntos como família, amizades e a importância do tempo e da vida.

Quem não ouviu falar nem alguma coisinha sobre Romance Is a Bonus Book nos últimos, hein? Foi um dos dramas mais falados desde a notícia com a confirmação do elenco até os seus últimos episódios indo ao ar. E não é pra menos, claro que os dramas do Lee Jong Suk sempre fazem sucesso, independente se você é do time das amantes do ator, ou se você é do time das que não vê nada demais demais nele.

No twitter, as dorameiras sempre entram na discussão: Lee Jong Suk bonito ou feio. Lee Jong Suk talentoso ou não. Mas independente de qual time você seja, uma coisa é fato, ele é famoso e tudo que ele faz vira hit. E eu falo isso fazendo parte do time que não vê nada demais nele (perdão, desde já, não me matem haha). Mas reconheço que que o moço sabe escolher bem os dramas, e Romance Is A Bonus Book foi o meu favorito da carreira dele.

Pra quem não esperava nada do drama, como eu, pode-se ter uma grata surpresa. É um drama que não demonstrava ser nada além de um romancinho meloso, mas conquistou os dorameiros por focar na história da protagonista que tem uma vida complicada após retornar para a carreira profissional depois de anos. Além disso, o ambiente da trama é o mundo das editoras e dos livros, e o tom poético acompanha a história e dá um toque especial.

Faz muito tempo que eu não venho aqui não é mesmo? Espero que vocês não tenham desistido de mim. Os últimos dias foram muito corridos. Mas espero voltar logo com os vários posts que estou devendo. Mas fiquem atentos porque tem vários mesmo e eu pretendo postar tudo logo, logo. Agora vamos logo pro assunto do post…

The Crowned Clown não foi um drama muito amado por todos, mas eu, como sempre sou do contra e tenho vários pontos positivos. O primeiro deles é que é um sageuk (drama histórico), e isso já basta. Haha. Tudo bem, isso apenas não basta, mas estávamos com escassez de dramas de época e esse veio pra alegrar nós dorameiros sedentos por espadas, lutas, palácios e aqueles cenários deslumbrantes.

Não tem sensação melhor para um dorameiro do que a de começar a assistir um drama sem expectativa nenhuma e acabar sendo conquistado completamente. Eu terminei My Strange Hero com essa sensação. “Poxa, que 16 horas mais bem gastas”!

Não imaginava mesmo. Eu comecei puramente por ter Yoo Seung Ho no elenco. A sinopse não era muito atrativa, então eu realmente não achei que me prenderia tanto, ou que fosse tratar esse tipo de assunto. Até esse poster do drama não diz o que de fato ele é.

My Strange Hero fala sobre o sistema corrupto e discriminatório de uma escola, com um protagonista que sofreu injustiças e agora quer vingança, mas acaba se deparando com casos ainda piores e pessoas que precisam de sua ajuda. Os personagens passam por uma evolução surpreendente e em meio a vingança ainda tem espaço para o desenvolvimento de um romance encantador.

Desde o início de 2018 a JTBC, emissora a cabo sul coreana, vem abordando em seus dramas, diversos tópicos marcantes e pouco explorados. Comentei sobre alguns dramas da JTBC no post de retrospectiva de 2018. Para fechar o ano com chave de ouro e ainda iniciar bem 2019, a emissora resolveu tratar sobre um tema que alguns dramas até chegaram a tocar no assunto, mas jamais com essa profundidade escancarada sobre a ganância das famílias ricas em tornar seus filhos os melhores numa sociedade que aparentemente já tem tudo.

SKY Castle foi líder de audiência e bateu o recorde de dramas em emissoras pagas, ultrapassando Goblin e Reply 1988. Foi sucesso absoluto na Coreia sendo comentado por diversos artistas e programas de televisão. Aqui no Brasil, o sucesso entre os dorameiros foi o mesmo assim que mais e mais pessoas começaram a assistir ao drama. SKY Castle merece todo essa conquista sim.

Não acompanhei SKY Castle com a Coreia, e nem sei por que, sendo que costumo acompanhar a maioria dos dramas que estão sendo exibidos semanalmente. Mas depois de muita gente ter comentado sobre o quanto o drama estava bom eu resolvi fazer uma maratona quando estava no episódio 18. Assisti ao primeiro e segundo episódio, dei uma pausa de uma semana porque a vida ficou corrida, na semana seguinte comecei a ver o terceiro, quarto, quinto, quando vi já estava no 19! Eu passei um fim de semana inteiro vendo SKY Castle e não me arrependo de nada. Pelo contrário, maratonar esse drama foi incrível, e acho que a experiência para mim, foi ainda melhor do que se tivesse acompanhado semanalmente.

Acho que estou mesmo numa fase dramas mais pesados. Viciei em Children of Nobody como vocês bem sabem e não parei por aí. Maratonei Sky Castle recentemente e logo venho postar a resenha, mas também terminei outro que foi surpreendente, ele é Less Than Evil.

Less Than Evil é a versão coreana da série original britânica Luther, que tem 5 temporadas e ainda está em exibição pela BBC. Como não vi a versão original, não posso fazer comparativo. Por isso este post, é um texto somente com minhas impressões sobre Less Than Evil, a versão coreana. Lembrando que o drama é recomendado para maiores de 18 anos por ser ter muitas cenas pesadas.

 

Eu realmente achava que Memories of The Alhambra estaria nos meus favoritos de 2019.Hhaha. E quando penso nisso fico até triste. Nem sei porque estou escrevendo esse post agora, acho que a maioria das pessoas assistiram esse drama e o tanto que falei dele nas minhas redes sociais também já deu pra todo mundo saber minha opinião sobre ele. Mas vou usar esse post como um desabafo então, um desabafo sem spoilers, será que consigo?

Memories Of The Alhambra foi um daqueles dramas que eu não dava nada antes de começar. Fiquei tentada pelos visuais bonitos da Espanha nos teasers e obviamente pelos atores protagonistas: Hyun Bin e Park Shin Hye. Quando começou, a surpresa foi enorme. Fiquei encantada pela temática quase inexistente na dramalândia, os efeitos visuais muito bons para um dorama e uma história muito promissora. A temática é sobre jogos e realidade aumentada e vou comentar mais pra frente sobre a história.

Tudo estava maravilhoso, embora a cada episódio eu ainda tinha medo de que tudo podia ir por água abaixo. E quando um episódio terminava eu respirava aliviada dizendo “que dramão”. Nesses momentos eu esquecia um pouquinho que tudo podia mudar a qualquer momento. Bom, o roteiro começou a mostrar várias falhas e buracos na história. E vou falar a verdade: em mim, isso não tinha tanto impacto negativo. O que mais pesou foi que o andamento da história toda parece que empacou, parece que todas as teorias que o drama nos fez pensar foram inúteis, e no fim a história caminhou pra lugar nenhum. Eu também vou explicar mais detalhes sobre isso depois. Por enquanto é só minha introdução e eu já falei até demais.

O problema maior, é que por mais que eu tenha odiado a segunda metade do drama, gostei demais da primeira, de verdade, então pensa no quanto eu fico dividida ao falar de Memories. Eu gostei de acompanhar, apesar de tudo. E todo mundo teve opiniões tão diversas. Tem gente que odiou muito mais do que eu, enquanto tem gente que amou do começo ao fim.